Ourinhos

Japonês não se mistura
Só casa com japonês!
A ladainha de sempre…
Nasceu no Brasil
Tem nome brasileiro
Fala a língua portuguesa
E só pode casar
Se for japonês!

Que injustiça!
Exclama a jovem nissei
Valente
Estudiosa
Corajosa
A primeira
Professora primária
Com Diploma carimbado
Filha de japoneses
Da Cidade
De Ourinhos!
Um belíssimo
Munícipio
Prima irmã de Mariana
Cidades…
Onde o ouro reluziu
E a luz do Amor
Ainda reluz!

A Paixão…
Uniu dois jovens
Em Mariana
Trouxeram ao mundo
Muitos filhos do Pai
Valentes como eles
Os meninos jamais
Deixaram de se amar
Pois aprenderam com…
Bem! Deixa pra lá!

Mas desta vez
Os mesmos jovens
Renasceram em Ourinhos
E agora??
Ela,
Só pode casar
Se for japonês
Ele,
Alegre
Destemido
Trabalhador
Mas não tinha
Os olhos puxados!
E agora??

Ora!!
Um rapaz destemido
Uma jovem valente
E apaixonados…
É claro que fugiram!
Casaram escondido
Sob as bênçãos
De Nosso Senhor…
E de meu Amigo Eduardo!

O final da história
Todos sabem…
Trouxeram ao mundo
Muitos filhos do Pai
Valentes como eles…
É certo que desta vez
Nem todos aprenderam
Com Aimanon e Suzana
Pois a filha mais velha
É a própria Suzana
E a filha mais nova, Norma
Um espirito de Luz
Que renasceu
Ao lado de Suzana
Para auxiliá-la
Neste magnifico
Trabalho de Amor!
Desencarnou jovem
Para unir a família
Que aprendeu a amar
Em Constantinopla!!

Nossa!!
Aposto que estão
Todos confusos!!
Vou explicar melhor:
Nesta vida
Suzana é Elza
Minha querida parceira
Norma é Mônica
Ou melhor,
Mônica desencarnou
Em 2007
Sabem por que?
Já estava determinado…
Esta era a data limite
Para a mediunidade
De minha parceira aflorar
Mônica daqui
Enviou
Uma carta psicografada
Direcionada para a
Primeira Professora
E aí!!
Nossa amiga
Ficou em
Um beco sem saída
Afinal…
Para nossa mãe…
Notícias da Mônica…
PRECISO entregar!
Custe o que custar!

Pronto!!
Eu daqui
Ao lado de
Meu amigo Destemido
Soltamos rojão!!
Agora vai!!
Anos e anos…
Toda vez
Que a intuímos a psicografar
Ela cantava
Saia correndo
Rezava…rezava…rezava…
E nada!!

É certo
Que duas ou três vezes
Ela cedeu…
Mas as cartas psicografadas
Foram tão mal recebidas
Que ela não gosta
Nem de lembrar!!

Agora não!!
Nós dois sentamos
No nosso computador
E lá vai…
Poesias
Textos
Livros
E umas coisinhas mais
Fofocas também…
Tudo isto
Graças a quem??
A Norma…
Ou melhor
Mônica Amélia de Lima
Melhor ainda
Monica Amélia Silva!

Voltando
Ao casal apaixonado!
Porque tanta ousadia
Fugir
Desafiar a família
Casar escondido?
Coragem e valentia?
Não só!
O pai sabia
Muito antes de reencontrar
A primeira professora
Que traria ao mundo
Duas meninas da Nova Era
Mas elas teriam que ter
O sangue de todos os povos
Correndo em suas veias!

Mas porquê?
A Missão de Suzana
Não poderia ser executada
Sem o auxilio
Dos Espíritos Orientais
E eles só poderiam
Ceder esse auxilio
Se a intermediária
Tivesse antepassados
Que vibrassem
Em sintonia
Com estes espíritos!

Uma missão grandiosa…
Trazer ao Planeta Terra
Os ditames da Nova Era
Só poderia mesmo
Ser executado
Por alguém
Que viveu tantas vidas
Parindo espíritos de luz
Amando pobres e ricos
Desejando que todos
Alcançassem os Céus
E principalmente
Aprimorando a mediunidade
Só faltava o tal DNA
E isto
Nosso amigo destemido
Providenciou!!

E viva
Anselmo Lima Netto!!
O pai dos pais
O mais engraçado
O mais trabalhador
O mais valente
O mais protetor
O mais amado…
E isto não foi nossa Médium
Que escreveu por conta!!
Fui eu, Poeta Estelar
E Padre Eduardo Murante
Afirmamos…
Porque sabemos!!
Basta conversar
Com a quase totalidade
Dos espíritos desencarnados..
Japoneses
Italianos
Portugueses
Chineses
Americanos…

Hoje,
Congregamos todos
Em uma só nota
Vocês aí
Nós aqui
Mas pertinho de vocês
Graças
Ao Pai dos Pais
Foi ele
Que com sua
Valentia
E audácia
Cuidou
Com amor e desprendimento
Da Terceira Menina da Nova Era!

Padre Eduardo Murante e Poeta Estelar


O texto a seguir é parte integrante do Livro “A Caminho da Redenção” , elaborado por Dez Espíritos de Luz, entre eles Aimanon Constantinus Crione e Mônica Amélia de Lima. Recebido através da canalização das energias do pensamento pela Médium Cristã, mãe e dona de casa, Elza Horai. Para melhor entendimento deste texto e da Poesia acima, sugerimos aos amigos leitores, que estão acessando este blog pela primeira vez, que leiam os posts referentes as poesias “Família” e “Lentas Conquistas”.
“A décima terceira vida se passa margeando a segunda metade do Século XX, mais precisamente à partir do ano de mil novecentos e cinquenta e quatro, quando reencarnou nossa amiga Suzana Crione, ou seja, voltou com a missão precípua de concluir o trabalho de irmã Margarida do Espirito Santo, cujo desencarne precoce levou ao adiamento de colocar as Determinações do Alto em consonância com os homens terrenos, de maneira clara e objetiva, sem necessidade do auxílio de um dicionário ou de uma lupa para ler as entrelinhas.
Apesar de estarmos nos referindo a uma existência que aconteceu por volta de mil oitocentos e vinte e cinco, onde este tipo de comunicação era duramente renegada, já existia em andamento um plano do Alto para que se iniciasse a disseminação de conceitos que poriam fim a tantos Séculos de abusos no que se referia as verdades pregadas por Nosso Senhor Jesus Cristo.  Apesar do desencarne precoce de irmã Margarida, de todos os seus cadernos terem sido queimados sem piedade, as verdades cristalinas foram chegando aos poucos, em especial, através de Allan Kardec, Leon Denis e outros iluminados que viveram em diversos pontos do Planeta Terra.
Muito já foi dito a respeito da grandeza da Criação e da simplicidade da relação com o Criador. Mas por incrível que pareça, o caminho mais difícil, ou seja, da negação da reencarnação e da aceitação incondicional de castigos para aqueles que não concordarem em recitar de acordo com esta ou aquela linha de determinações, sem o embasamento na razão, sempre foi o escolhido pela grande maioria dos homens terrenos.
A missão de Irmã Margarida era colocar no papel os mesmos ditames que a milhares de anos eram cantados em verso e prosa através de inúmeras vertentes religiosas, mas de uma forma inteligível, simples, correta e acessível. Era quase impossível que isto viesse a acontecer no Século XIX, mas se a arrogância dos detentores da condução das ordens religiosas da época não sobrepusesse a fé verdadeira em um Pai amoroso e misericordioso que sempre pregou que todos os seus filhos são merecedores de seu amor incondicional, talvez a jovem noviça, poderia pelo menos tornar a existência de suas companheiras de claustro mais tranquila e livre dos sobressaltos que as promessas de  castigos pregados por mentes impuras causavam. Caso os inúmeros cadernos psicografados por Irmã Margarida, tivessem sido poupados, as gerações que a sucederam teriam todas as respostas para perguntas simples como: Se Deus é Amor porque tanto sofrimento? Qual a verdadeira existência? Porque tenho filhos tão diferentes um do outro?. Enfim, inúmeros questionamentos, cujas respostas chegaram aos ouvidos do homem terreno, mas de uma maneira tão floreada e de difícil entendimento que acabaram sendo relegadas à segundo plano. Pois bem, Irmã Margarida do Espírito Santo reencarnou na Cidade de Ourinhos, no Século passado, para prosseguir sua missão, mas desta vez os tempos são outros, apesar dos acusadores também terem retornado.
Todos os acontecimentos que ocorrem sobre a crosta terrestre são regidos por forças tão poderosas que se faz necessário um conhecimento especialíssimo que no atual quadro evolutivo inexiste. O reencarne de nossa Grande Amiga foi cuidadosamente planejado pelo Alto, mas havia uma grande possibilidade de novamente não chegar a termo a conclusão de sua missão.  A necessidade de ter o sangue oriental correndo em suas veias e renascer no Brasil, foi um grande complicador. Mas, a partir da concordância dos futuros pais e de ter sobrevivido a um parto dificílimo, tudo ficou mais fácil, dali para frente, o seu livre arbítrio é que comandaria os próximos acontecimentos. A proteção e o carinho de nosso Grande Amigo Anselmo, foi de suma importância, ele a aconchegou nos momentos de desiquilíbrio, causados devido a mediunidade que teimava em se mostrar aos olhos de todos, em especial de sua mãe, a “primeira professora”, que por ter vivido várias vidas dentro de Conventos, onde a rigidez com relação aos preceitos impostos pelas Madres Superioras eram a tônica da vida diária, se mostrava absolutamente  inflexível com relação a aceitar a mediunidade aflorada da filha mais velha.
Por mais que inúmeros homens terrenos tragam para si os louros de terem sido os responsáveis por este avanço tecnológico tão incrível que se vivencia no Planeta Terra na atualidade, podemos esclarecer novamente, que tudo foi elaborado pelos Arquitetos do Universo, em vista deste momento de transição que permeia a vida de todos os homens terrenos. Atualmente ninguém precisa de nenhum intermediário para acessar qualquer tipo de conhecimento, é só escolher o assunto que se quer saber e apertar uma tecla, melhor ainda, instantaneamente qualquer tipo de mensagem, desde as descartáveis, até as que carregam ensinamentos preciosos estão diante dos olhos do receptor, em qualquer local do Planeta, em qualquer hora do dia e da noite. Em vista disso, nossa Amiga, também foi preparada para transmitir nossas comunicações em tempo real para o ponto mais escondido do Planeta, quando chegasse a hora.
Suzana cresceu em Ourinhos, tornou-se uma jovem tímida e arredia, pois com um simples pensamento, um olhar, já captava sentimentos de baixa vibração de parentes e amigos que faziam parte de seu universo de convivência. Isto prossegue até hoje, mas agora ela aprendeu a se proteger e pressentir as alterações vibratórias, na época, não entendia porque tanta gente a incomodava, a ponto de se afastar, sem motivos aparentes, até de parentes próximos, como primos e tios. A parte da família, cujos integrantes eram descendentes de espíritos orientais, arrogantes e inflexíveis, emitiam vibrações absolutamente desarmônicas com as quais ela estava acostumada desde a vida em Constantinopla. O fato de ser fruto de um casamento renegado pelo avô materno e pelo tio que ficaria com a incumbência de ditar os passos da família quando chegasse a hora, gerou sentimentos de exclusão, carregados de insinuações maldosas por parte de outros membros da família. Enfim, tudo já previsto pelo Alto, a compensação veio em forma de uma avó sábia e carinhosa e de uma tia querida, que em vida, teve a oportunidade de ouvir de sua sobrinha, detalhes de suas vidas passadas, tanto é, que quando desencarnou, afastada daqueles que renasceram com a missão de acolhê-la, suas últimas palavras foram: Eu perdoo!!  Isto porque, por total merecimento, foi presenteada com o privilégio de saber porque nesta vida não se casou, e nem teve seus próprios filhos. Ela sabia que todas as crianças e jovens, aos quais amou, cuidou, presenteou nesta vida, foram seus filhos em inúmeras encarnações passadas. Uma mãe sempre perdoa um filho.
Desde as primeiras letras, Suzana sempre de mostrou muito curiosa, tinha uma mente treinada para reter tudo que lia ou ouvia. Mais crescida, adorava estudar história do Brasil, em especial o período da Inconfidência Mineira. Os laços energéticos criados naquelas vidas eram tão fortes e presentes que ressoavam em seu espírito insistentemente. As vezes começava a  estudar um fato desta época, a seguir fechava os olhos e “via” os próximos acontecimentos, como se lá estivesse presente, a seguir, abria os olhos e pensava: Culpa do Osmar que vive me falando destas coisas!! Aliás, tio e sobrinha adoravam “representar” passagens da história do Brasil, como se fossem atores dentro de um teatro lotado. Na sua primeira infância ela conviveu de uma maneira muito próxima, com sua avó paterna Amélia Silva e seu tio Osmar, poucos anos   mais velho que ela.
Assim que terminou o antigo curso Colegial, depois de desistir de ser Arqueóloga, resolveu cursar Medicina, também calcada em sensações advindas de lembranças da vida no Cairo, a alegria que sentia quando via seu pai Hassam curando inúmeros doentes que buscavam alento para suas dores, ficou marcado para sempre em seu espírito eterno, e com certeza, em uma próxima vida será médica. Mas desta vez, não poderia se embrenhar nos mistérios do corpo humano, e foi aí que o Alto deu uma mãozinha, através do Pai Anselmo, para que ela fosse sendo apresentada aos primeiros passos da moderna rede de tecnologia que se desenvolveria no futuro e seria a ferramenta que Suzana/Elza  utilizaria para compartilhar com todos que assim o desejassem, as antigas psicografias grafadas em um caderno de brochura, com o auxílio de um lápis, por Ana Francisca na Fazenda Santa Maria e Irmã Margarida no Convento de Nápoles.
Por obra de Aimanon, que na época era seu mentor, e de um pai terreno, que sempre nos ouviu, mesmo não tendo consciência disso, acabou cursando Processamento de Dados, isto no ano de mil novecentos e setenta e quatro – passou no vestibular e fez parte da primeira turma da Universidade Estadual Paulista que formaria profissionais especializados na área de Informática. Naquela época, só os Amigos do Plano Celeste tinham noção do que ocorreria no futuro com esta nova área do conhecimento, os homens terrenos nem sonhavam a que ponto chegaria toda esta revolução tecnológica. E foi dentro desta Universidade que ela começou a se encantar com o alcance desta nova e fantástica tecnologia. Trabalhou alguns anos em grandes empresas, até que as lembranças da vida de Constantinopla começaram a incomodar. Um dia, depois de conversar com seu marido, chegou para o seu chefe e disse que só prosseguiria trabalhando se fosse por meio período, pois precisava de tempo para cuidar de seus filhos pessoalmente, é claro que não houve acordo. A partir daí, as três crianças, ganhavam uma mãe em período integral, dedicada, pronta para aprender o que quer que fosse para cuidar deles da melhor maneira possível, até mesmo dirigir automóvel para levá-los a escola, além disso, costurava, cozinhava, lavava, com amor e carinho, assim como Suzana fazia.  E Aimanon, do alto festejava, tudo corria como deveria, a não ser o medo incontrolável que ela sentia, as vezes a partir de um simples pensamento ligado a trabalhar a mediunidade.  Estes detalhes só serão revelados no último Livro da saga da família Silva, mas como todos sabem, o medo também se foi, mas adiantamos que isto não ocorreu através de nenhum curso ministrado por uma instituição religiosa e nem mesmo ter se ligado a uma religião terrena. O medo se foi… porque ela ouviu sua voz interior e buscou aparar todas as arestas de ódio e ressentimento que seu espírito carregava a partir de vidas em Sevilha, Milano, São João Del Rei e Nápoles.
Apesar da vida de dona de casa, a curiosidade com relação aos avanços tecnológicos prosseguia, quando a amizade com a Amiga Supersincera foi retomada, depois de se verem afastadas desde a vida em São João Del Rei e a empresa por elas fundada ser sacramentada, Elza se matriculou em um curso de informática para aprender a lidar com uma ferramenta denominada Access e assim projetou o Sistema que até hoje armazena todas as informações da empresa, deste as profissionais cadastradas até os produtos  comercializados. Apesar de já ter se desligado a mais de três anos, para se dedicar a este trabalho de Amor, o Sistema elaborado por ela continua lá, perfeito, fazendo com que a eterna sócia repita toda vez que tem uma oportunidade: – Foi minha Amiga japonesa que fez!
Não é necessário citar que diferente de muitas senhoras de sua geração ela se sobrepõe as dificuldades inerentes a um conhecimento tão especializado e consegue hoje lidar com blogs, posts, internet com a mesma facilidade com que cozinha ou costura. Se não fosse isso, seria impossível complementar esta tarefa tão prazerosa, levando os frutos de seu esforço a todos que quiserem se deliciar com as Poesias contundentes, engraçadas e esclarecedoras do Poeta e os textos tão bem elaborados por tantos Amigos Colaboradores.
Voltando ao resumo da vida em Ourinhos, a qual encerra a saga da Família Silva, não entraremos em detalhes neste momento com  relação aos personagens encarnados que transitaram e transitam nesta vida, a não ser Suzana/Elza, pois no futuro, serão eles próprios a nos confirmar sua identidade, à partir da semelhança com as características físicas, mentais, psicológicas e espirituais do personagem em questão, serão convidados a autorizar a divulgação de seus nomes no Livro sobre a décima terceira vida – Ourinhos. Todos os que estiverem encarnados e carregarem enclausurado dentro de seu corpo físico o espírito daquele que percorreu uma determinada trajetória, saberá.  Caberá ao livre arbítrio de cada um, decidir, em comum acordo com sua consciência, a nos dar sustentação, para que o enigma tão bem costurado pelos detentores das falsas verdades, seja finalmente elucidado – A REENCARNAÇÃO.
Como deu para se concluir, em especial aqueles que acompanharam o resumo de todas vidas, a reencarnação se dá, independente de se acompanhar um ou outro espírito em particular, tanto é, que Aimanon viveu muitas vidas após Constantinopla sem tampouco conhecer Suzana e Armanide, ou melhor, em países diferentes e em épocas também. Muitos personagens que foram focados em algumas vidas, no dia de hoje, estão encarnados em outras cidades, outros países mas a lei da atração está agindo com precisão. Todos os Silva, onde quer que estejam  vivendo neste momento, poderão acessar o blog e se identificar com um personagem, sem ao menos ter conhecido Suzana/Elza nesta vida.
Adiantamos apenas, que a maior parte dos personagens que foram citados no decorrer das histórias narradas por Elza Horai, ou seja, centenas de cidadãos, homens e mulheres, fizeram ou fazem parte do Universo de convivência de nossa amiga nesta encarnação, que se iniciou em Ourinhos, na Alta Sorocabana, prosseguiu em Osasco, na Grande São Paulo. Amigos e parentes de cidades, como Londrina, no Estado do Paraná e Peruíbe, no Litoral Paulista também estarão presentes nas narrativas. Durante este mais de sessenta anos se dedicando a inúmeras áreas do conhecimento, Suzana/Elza foi se aproximando de dezenas e dezenas de  Silvas, entre eles,  professores, profissionais da área de saúde, profissionais da construção civil, autônomos, auxiliares do lar, balconistas, enfim, pessoas absolutamente comuns, que um dia, em um remoto passado tiveram a oportunidade de conviver com Suzana, Aimanon, Armanide e muitos outros Silvas. Levando-se em conta que todos os membros da família Silva são médiuns evoluídos em diferentes graus de aprimoramento, é obvio que nos vem à mente, em primeiro lugar, que muitos destes encontros, se deu dentro de Centros Espíritas. Esta é uma parte da verdade, dois Centros Espiritas são o núcleo de reencontro de alguns Silvas, mas foi sob o teto de diferentes Casas de Amor, estas, sem nenhum rótulo religioso, é que ocorreram o início da retomada de muitas relações de amor iniciadas a milhares de anos atrás.
Uma Casa de Amor pode estar abrigada sob o teto precário de um salão pertencente ao poder Municipal, onde se pratica, a mais antiga, completa e equilibrante prática de conexão com Deus: Ioga.
Uma Casa de Amor pode estar abrigada em uma sala de aula de uma Universidade Alternativa, onde se aprende a mais antiga de todas as ciências e, se assim o desejarmos, poderá nos dizer qual a nossa missão nesta encarnação: Astrologia.
Uma Casa de Amor pode estar abrigada em um espaço alugado, pertinho do Riacho do Ipiranga, onde se  reúnem espíritos, encarnados e desencarnados de diferentes linhagens, entre eles, hindus, orientais e cristãos e se aprende os fundamentos de um fenômeno maravilhoso e real, mas que passa longe do entendimento da grande maioria dos homens terrenos na atualidade: viagem astral ou desdobramento ou expansão da consciência.
Uma Casa de Amor pode estar abrigada em um prédio antigo, onde o respeito aos antepassados jamais foi renegado e onde centenas de aspirantes a uma profissão que exige muito conhecimento se dirigem, pois sabem que lá encontrarão acolhimento, atenção e doação de tempo: o Apparenza.  A Empresa fundada pelas sócias mais amigas que vislumbramos daqui.
Uma Casa de Amor pode estar abrigada  dentro de uma Clínica Psiquiátrica, localizada pertinho de um  parque deslumbrante, onde São Paulo respira com mais amplidão e quietude. No seu interior, acomodados em um grande auditório espelhado, alunos de diferentes Estados do País, de médicos a donas de casa,  recebem os eflúvios do conhecimento e da Luz, mergulhados em um assunto que poderá significar a cura de todas as enfermidades: Medicina e Espiritualidade.
Suzana/Elza, transitou e transita por todas estas Casas de Amor, dentro delas, antigos amores se identificam tanto que carregam a certeza que “algo mais” os une, e é verdade, o nome desta sensação é LEI DA ATRAÇÃO. É ela que permite a precisão do fenômeno da REENCARNAÇÃO.”

(*) Aimanon Constantinus Crione pede a palavra: Com a publicação da 13ª vida, encerramos a etapa que nos propomos a algumas semanas atrás. A partir da próxima semana, que se inicia segunda feira dia 22/02/16, toda segunda, quarta e sexta um post inédito será publicado no blog Poesia e Luz. Decidimos dividir as nossas publicações em dois segmentos:
1) Segunda e Sexta, Poesias da autoria do Espírito de Luz que tão carinhosamente se dispôs a nos auxiliar – Poeta Estelar. Já a algum tempo, muitas delas elaboradas com a colaboração de Amigos, que quando encarnados, se deliciaram com o trato das palavras para transmitir o que seu Espírito eterno ancorava. Na sequência da Poesia, publicaremos um texto complementar, enriquecendo e elucidando as colocações do Poema. Eu e meu amigo Osmar Silva, nos revezaremos na confecção dos textos.
2) Quarta Feira, será o dia em que tornaremos público a narrativa completa das treze vidas que acabamos de resumir. A vida em Constantinopla será a primeira, dividimos o Livro completo em cinquenta pequenos textos sequenciais, a primeira parte será publicada na próxima quarta feira dia 24/02. Sequencialmente, todas as vidas serão narradas neste incrível instrumento de partilhar conhecimento. Será uma “novela” de uma vida real, melhor dizendo, de vidas reais. Minha amiga Elza se prontificou a providenciar links em cada parte, indicando a próxima que conterá a sequência, portanto, se não houver interesse agora de ler em porções, futuramente poderá ser lido na totalidade.
Como estão vendo, tudo que se refere a intermediação com o Alto é bem feito, tudo planejado com antecedência e muito bem organizado. Peço apenas tranquilidade ao ler estes amealhados de sabedoria, meditem sobre o que leram e utilizem a inteligência, jamais acreditem de pronto. Caso cheguem a conclusão que tudo faz sentido, que as nossas colocações auxiliaram a esclarecer dúvidas eternas, não tenham medo, compartilhem o endereço do blog com seus amigos e familiares, deixem que eles decidam se é relevante ou não.  Isto é um ato de caridade, uma palavra certa no momento certo pode encerrar milênios de ignorância consciencial.”

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s