Família

E Deus projetou
A família…
Com todo cuidado
Detalhe por detalhe
Cada um
Com suas tarefas
Cada um
Com seu espaço
Cada um
Com a liberdade
De opinar
E se fazer ouvir

Pelo menos,
Este é o esboço
Original
Hoje
Muito se inverteu
Liberdade?
Opinião?
Tarefas?
Espaço?
Não é o que
Visualizamos daqui
Talvez a verdadeira
Realidade
Seja
Invasão de espaço
Negativa em cumprir obrigações
Cerceamento de liberdade
Desrespeito a opiniões

Mas ainda,
Muitas família
Modernas
Se moldam
Ao formato original
E são estas
Que estão levantando
A bandeira
Da nova família terrena
Aquelas que
Serão a maioria
No Novo Planeta de Regeneração
E no Futuro Planeta Luz!

E família espiritual?
Já ouviram falar?
Acredito que muitos
Desconhecem…
Vou dar uma leve pincelada:
Sua família terrena
Compõem-se
Pais
Irmãos
Primos
Tios
Avós
Enfim
Todos os que convivem
No seu dia a dia…
Que você
Conversa

Comemora
E mesmo
Não estando tão próximos
Tendo o mesmo DNA
Já faz parte
De sua família terrena!

A sua família espiritual
É muito… muito maior…
Pois este núcleo
Compõem-se de
Vivos e Mortos
Estranho, né?
Estranhíssimo!!
Principalmente
Para aqueles que acreditam
Morreu acabou!
Mas novamente repito:
Não minto jamais!
E quem quiser parar por aqui
Que fique à vontade!

Voltando…
Mas quem são estes espíritos?
É claro que me refiro aos mortos!
Pois os vivos
Todos sabem muito bem
Quem é
Quem não é
Membro de sua família

Colocarei agora
O meu lado professor
A serviço de quem
Ainda prossegue lendo…
Porque quem parou
Jamais entenderá
A razão de tantos desencontros
Em sua vida

A sua família espiritual
Compõem-se
De espíritos que interagiram
Com você
Por incontáveis encarnações
Tendo todo grau de parentesco
Inclusive
Amigos
Vizinhos
Companheiros de trabalho
Ou mesmo,
Algum anônimo
Que você auxiliou
Em um momento de doação!

Todos vibrando
Em sintonias afins
Pois se não fosse assim
Seria impossível
Manter a conexão familiar
É certo
Que em alguns momentos
Uns se desgarram
Outros se agregam
Mas isto falaremos
Em um outro “belo texto”

Nascimentos
Casamentos
Grandes amizades
Sociedades sólidas
Ocorrem
Quando membros
Da mesma família espiritual
Se encontram…
Parece simples
Mas não é!
As vezes…
Bebes nascem em
Uma certa família
Apenas para
Ajustar a vibração
Com um pai… um irmão…
Isto ocorrendo
Todos passam a pertencer
A mesma família espiritual
Se não ocorrer…
Talvez no futuro
Terão novas oportunidades
Concedidas pelo Pai
Assim que o Alto
Constata
Que a oportunidade foi
Com certeza desperdiçada
Desencarnes são determinados
Pois o “tempo” é precioso

Casamentos…
Uma dúvida que muitos
Em seus momentos de reflexão
Se põem a perguntar:
Porque deu tudo errado?
Porque ela é tão inflexível?
Porque ele é tão controlador?
Porque… porque… porque…
A resposta é:
Porque não levaram em consideração
A sua “intuição”
Que te dizia:
Ela é muito geniosa…
E você respondia
Mas ela é tão linda!
Ele é muito cabeça dura…
E você respondia
Mas ele é tão carinhoso!
Ela é muito diferente de você…
E você respondia
Mas ela é tão expansiva!
Ele é muito rude…
E você respondia
Mas ele é tão rico!

E onde entra a família espiritual?
Entra no momento que Deus determinou
O casamento é indissolúvel!
Nooossa! É o coro que ouço!
Mas isto é coisa de antigamente
Eu já estou no terceiro casamento…
Mas qual o problema?
Você busca alguém
Que foi escolhido
Por você
Antes de voltar a vida!
Alguns “casamentos terrenos”
São etapas necessárias
Para se chegar
Ao casamento “abençoado”
Por Deus em comum acordo
Com você!
Este é indissolúvel
Pois é congregado
Com toda a sua família espiritual
Ele fornece energia
Para que todos os membros
Deste núcleo divino
Tenham força
Para continuarem unidos
Prosseguindo a compor a
Obra de Deus!

Uma historinha para ilustrar:
O filho cumpridor de seus deveres
Apesar de todos os obstáculos
Se entrega com louvor
A tarefa pré-escolhida…
Cura
Orienta
Abraça
Doa
Ensina
Um dia sentou-se na cama
E disse para
Nosso Irmão Maior
“Eu quero uma família”
Mas como paciência
Nunca foi o seu forte
Apesar de saber
Que a esposa “verdadeira”
Estava sendo preparada
Casou-se com outra!

Bem,
Nossa historinha acaba por aqui
Vamos analisar alguns pontos…
Alguém que faz tudo certinho
Merecia ser premiado
Com uma linda família
Sem brigas
Sem disputas
Sem cobranças
Sem interesses materiais
Correto? Não!
A partir do momento
Que os olhos terrenos
Disseram:
Ela é linda
Ela é jovem
Ela é cobiçada
Ela é culta
E se sobrepôs ao
Olhar sereno do Espirito
Sabedor de todos os compromissos
E que só pedia um pouco
De paciência
O merecimento
Que certamente existia
Deixou de existir!

Agora pergunto:
Casamentos frutos
De algum deslize
Provocado
Pelos míopes
Olhos terrenos
São indissolúveis?
É claro que não!
Caso contrário
O Pai não diria
Que arrepender-se
É meritório!

E os filhos
Frutos destes relacionamentos?
Ah!! Os filhos são mais
Espertos que os pais
No fundo eles sabem
Que quanto mais
Irmãos
Pais
Tios
Avós
Primos
Tiverem…
Maior será sua família espiritual
E mais força terão
Para gritar a plenos pulmões:
VIVA A NOVA ERA !!

Poeta Estelar


O texto a seguir faz parte do Livro “A Caminho da Redenção” recebido pela Médium Cristã Elza Horai, elaborado no Alto por Dez Espíritos de Luz entre eles Poeta Estelar e Madre Tereza D’avila. 
“A família é a instituição terrena e espiritual mais importante que existe. A família espiritual não é outra senão a antiga família, cujos laços suplantam o olhar limitado lançado apenas ao Planeta Terra ou a uma única existência. A família espiritual precede e suplanta a família terrena, e é o núcleo mais coeso e bem estruturado que existe neste Universo. Todos interagem continuamente, encarnados e desencarnados, tanto durante a existência terrena como no momento do desencarne.
Partilhar um lar terreno, nada mais é que consequência, de um trabalho que se inicia muito tempo antes do nascimento do bebê e que envolveu desde a aceitação de todos os envolvidos, pais, avós, irmãos e principalmente o próprio reencarnante, até a dificuldade ou facilidade que este espírito trará a este núcleo.
A menina solteira engravidou de repente e o bebê veio como um intruso sem pedir para ninguém. Ledo engano. O acaso não existe. Todos concordaram, inúmeras reuniões ocorreram durante os desdobramentos, ou seja, durante as madrugadas enquanto o corpo físico descansa, os espíritos se afastam e se reúnem para acertar inúmeros assuntos e o nascimento de novos membros da família, é absolutamente debatido.
Muitas vezes, não ocorre a concordância, por exemplo, da mãe, neste caso, o reencarne pode ser cancelado ou imposto pelo Pai para aprimoramento de todos. Em casos de aborto provocado, vai se de encontro a algo que era vontade do Pai e a vítima se vê diante da recusa concretizada, o que levará ao mais grave desentendimento futuro que alguém pode, durante sua evolução como espírito aprendiz na senda, sequer imaginar.
Como se forma este maravilhoso conjunto de espíritos? Como se pode agregar novos membros? Através da similaridade energética, quanto mais se partilha a vida terrena, mais a energia consciencial vibra na mesma sintonia, mais forte a atração, apenas isso.
Assim se situa o núcleo familiar, todos aceitaram fazer parte, portanto, juntos representam a força que remove montanhas, que sobrevive a milênios e que em um determinado momento, pode, contando apenas com o amor e a união, participar de um trabalho muito especial, onde cada um fará a sua parte e todos modificarão milênios de ignorância consciencial.
Um núcleo familiar antes de tudo, carrega a centelha divina da união mais ajustada, jamais vista, em nenhuma outra categoria de agrupamento terreno e também do Plano Sutil. Este núcleo é amparado e cuidado pelo Pai, sem o auxílio de Servidores. A amplitude desta afirmação é inalcançável pela mente terrena.
Deus a forma e conduz todos os detalhes para que seus membros progridam e caminhem em direção de sua Casa. Cada espírito, pertencente a um núcleo familiar, independente em que plano habitam no presente momento, são partes de um todo que dão peso à missão daquela família. Isto pode parecer estranho, mas é exatamente assim, todas as famílias espirituais pertencem a um grande ramo de espíritos que possuem uma missão determinada pelo Pai. Alegando ignorância da missão da Grande Família, muitos espíritos se desprendem da família original e se integram a outras – espontânea ou compulsoriamente.
Cada espirito, oriundo de um determinado casal, pertencem a um ramo familiar específico, digamos que Maria Souza filha de João Souza e Joana Medeiros, se casou com Antônio Teixeira, filho de Joaquim Teixeira e Lurdes Assunção – tiveram três filhos – Luis Souza Teixeira, Carmem Souza Teixeira e Renato Souza Teixeira.
Independente do sobrenome, cada espírito encarnado pertence a uma família espiritual única. Neste pequeno exemplo temos : Luis pertence à família Assunção, Carmem à família Souza e Renato à família Assunção. Percebe-se que Renato e Luis são muito amigos, companheiros inseparáveis – é obvio, foram irmãos e cunhados em outras encarnações, sempre pertencendo a família Assunção, mesmo sem mais carregar e transmitir o sobrenome.
Carmem é médica pediatra, assim como seu avô João Souza foi. Genética? Não. Carmem e João se conheceram na Segunda Guerra Mundial, em um hospital montado em uma frente de batalha na Alemanha, eles iniciavam um relacionamento quando Carmem morreu vítima de um bombardeio. João sobreviveu, voltou para casa prosseguiu trabalhando, desta vez atendendo apenas crianças devido o trauma vivido na Guerra. Casou-se com Joana, também de sua família, teve cinco filhos, entre eles Maria e Carmem.
A família espiritual se distingue da família terrena, pois se forma devido laços energéticos e a segunda, laços genéticos. Muitas vezes vocês se deparam com pessoas totalmente estranhas e a simpatia brota quase que instantaneamente, tenham certeza que estão diante de um membro de sua família espiritual, pois se não há afinidade energética, não há simpatia, e sim algo que oscila entre a indiferença e a antipatia profunda.
Cada espírito carrega a missão determinada para si e também uma tarefa conjunta, conduzida e amparada por Deus. A família, portanto, é o anteparo de cada espírito encarnado. Isto porque, todos os espíritos desencarnados pertencentes a um determinado ramo familiar se unem no Plano Espiritual e se esforçam para auxiliar no crescimento de seus membros ainda encarnados, todos vibram em uma só sintonia, comandam o rumo dos acontecimentos, determinam reencarnações e até desencarnes. Sempre objetivando atingir a missão principal a que esta família foi incumbida. Tudo isto supervisionado por Deus Pai.
Mas no caso do exemplo último, Carmem não faz parte da família espiritual, então o fato de pertencer a mesma família terrena que seus irmãos a torna excluída da necessidade de interagir com eles? Não é esta a linha de raciocínio. Acima de qualquer núcleo familiar temos Deus – pai de todos. Portanto em primeira instância somos todos irmãos, apenas com obrigações diferentes. Se a mãe pede para a filha lavar a louça e o filho varrer o chão, não quer dizer que ela não pode ajudar seu irmão a fazer sua tarefa e vice-versa. É isto, todos aqueles que sabem e podem fazer, devem auxiliar, independente quem seja, amigo ou não, familiar ou não.
A dúvida agora é qual pode ser esta grande missão que minha família carrega? Primeiro observe os seus, sinta com quem se assemelha energeticamente, ou seja, com quem gosta mais de conversar, sente mais falta quanto está distante, admira, confia. Agora avalie suas aptidões gerais, profissão, religião, conduta, preferências. Conclua se é realizado ou não, se apresenta desequilíbrios, vícios, desajustes diversos. Caso a conclusão seja, ele é realizado, pleno, feliz. Observe qual é sua profissão, qual suas escolhas, em todos os níveis, tanto materiais como espirituais. Aí encontrará  muitas respostas, só é pleno, feliz e equilibrado quem realiza sua missão, tanto pessoal como familiar, isto é imutável. Quem é triste, infeliz, mau humorado, insatisfeito, amargo – não encontrou, ou talvez, já encontrou mais se nega a cumprir sua tarefa – isto é certo como a claridade emitida pelo sol.
O último passo para descobrir a tarefa de sua família é dois ou três familiares que fazem a mesma coisa e são plenos é aí que está o elo que o levará a cumprir sua missão familiar. A missão pessoal é : ouça sua intuição, ela trás lembranças do momento que se comprometeu a fazer determinada tarefa  e também orientação de seus familiares desencarnados, mentores e do próprio Pai.
As famílias terrenas que vivem neste começo de Século XXI estão perdendo totalmente a base que levou a esta confraternização de espíritos encarnados. Não se auxiliam, não conversam, não são prestativos, enfim, achamos que não é exagero dizer, não se amam. Deus deu a liberdade como é de sua essência, mas o livre arbítrio utilizou esta liberdade para separar e desunir.”

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s