Falando só de Amizade

Lentamente
Passo para vocês
Tudo que sei
Sobre este sentimento
Disparado
É o assunto
Que mais gosto
Talvez porque
Foram os amigos
Que me reergueram
Em inúmeras vidas
Onde tropecei feio…

Amigo é bálsamo
É a certeza
De não se estar só
A amizade representa
O que há de mais
Leve
Na relação
De duas pessoas…
Que se escolheram
No meio
De tanta gente!

Dar uma rosa
E receber um lírio
Dar um sorriso
E receber
Um abraço
Dar um bombom
E receber um sorvete

Enquanto um chora
O outro consola
Enquanto um tropeça
O outro ampara
Enquanto um morre
O outro ora
Para que o reencontro
Seja breve…

Amizade precisa
Ser azeitada
Usar o fole
Para que a chama
Nunca se apague
Tentar sempre
Não se afastar
Telefonar
Dizer
Feliz Aniversário
Saudar
As conquistas
Presentear
Com amor
Receber
Com agradecimento!

Mas o que todos
Teimam em desconhecer
É a verdadeira história
Dos grandes amigos…
Todas as
Grandes amizades
Daquelas que o
Primeiro olhar sorriu
Foram cuidadas
Como um
Vasinho de violetas
Por vidas e vidas…
Partilhando
Dores
Amores
Sorrisos
Vitórias

E mais,
Quando um chorava
O outro enxugava
As lágrimas
Quando um conquistava
O outro batia palmas
Quando um se casava
O outro era padrinho
Imaginem
Vidas…vidas…vidas…
Na Europa
Na África
No Oriente
A Amizade
E a sinergia energética
Aumentando
Cada vez mais

Até que hoje
Escutamos
Porque será
Que fulano
Se dá tão bem
Com beltrano
Se são diferentes
Como a água e o vinho?

Eu respondo:
Porque
Um emprestou dinheiro
Para o outro enterrar seu filho
Porque
Um deu abrigo ao outro
Quando o vendaval levou sua casa
Porque
Um pediu pela vida do outro
Quando a malária se instalou
Porque
Os abraços eram sinceros
Os agradecimentos eram sinceros
A alegria era sincera
A amizade era sincera
Daquelas onde
Presenciamos cuidados

Que vão
E que vem…

E de tanto
Era… Era… Era…
Hoje
Continua sendo…
E entender porque?
Se ainda
Nem compreendemos
Porque
O Planeta Azul
Permanece suspenso
No Universo infinito
Sem ao menos
Um cordãozinho
Para segurar?

Poeta Estelar


O texto abaixo foi retirado do Livro “A Caminho da Redenção”, elaborado por Dez Espíritos de Luz entre eles Padre José Maria Xavier e Edite Maria, recebido através dos feixes de energia emanados pelos Amigos desencarnados à dona de casa Elza Horai.
“Falar de amizade é falar de grandes parcerias. Grandes sinergias de união e doação que leva ao cultivo de tanta energia consciencial de vibração altíssima que os amigos jamais se separam mesmo havendo milhões de anos luz de distância entre um e outro. A energia de um se conecta a energia do outro por força de apenas um pensamento fugaz. E quando um liga para o outro no exato instante  que este pegou o telefone para ligar justamente para quem…a primeira afirmação que se ouve “que coincidência…”  é uma maneira simplista de se explicar o inexplicável, ou melhor, o que se pode explicar perfeitamente quanto se enxerga a vida terrena como um minúsculo cisco que faz parte de um grande Universo holográfico onde tudo faz sentido… e nem coincidência… nem milagres… são conceitos que se integram neste panorama.
Quando nos referimos a amizade, queremos dizer, grandes feixes de energia partindo de um espírito – encarnado ou não –  direcionado a um ponto especifico : o amigo. Mas não se iludam, a física quântica é precisa como um relógio suíço. Feixes de energia só se formam quando existe uma força primária. Neste caso, o amor, a solidariedade, o bem querer.  E só voltam ao ponto de origem se uma força igual e contrária der suporte a esta energia para que ela retorne. Em se tratando de amizade verdadeira, a energia deve ser cultivada constantemente para que ela transite entre os dois pontos incessantemente e tenha força suficiente para atravessar o lapso de tempo que separa uma vida e outra e também uma dimensão e outra.
Às vezes, a amizade estremece, os amigos se estranham, mas logo tudo se realinha, porque lembranças de vidas pretéritas invadem a mente de cada um e sem saber exatamente o motivo, desculpas são proferidas, abraços trocados, lágrimas misturadas. Outras vezes, um fato qualquer, põe na balança o verdadeiro sentido daquela amizade. Os dois amigos checam todos os pontos e decidem se afastar fisicamente, mas o que se esquecem é que a amizade não é inerente a espaço físico, muito menos se aloja dentro do coração. O espírito é que é o comandante mor daquela relação, e como espírito é energia e a sua fluidez permite que ele transite por caminhos onde o corpo físico não tem autonomia, a amizade resiste… anos e anos a fio. O dia do reencontro parece o dia seguinte de uma grande noitada na qual os dois amigos compartilharam a mesma mesa.”

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s