Mykonos-71

voltar a introdução

voltar a Mykonos-70

CAPITULO 7

O NOVO LIDER DA COMUNIDADE

    Nem sempre os acontecimentos ocorrem de acordo com o nosso desejo, Mirtes queria uma vida boa, ser saudada por ter como marido o líder da Comunidade, mas foi exatamente o contrário, assim que Percilio comunicou a todos que aceitara o convite de seu pai para sucedê-lo já faziam dois meses que Anita havia nascido, ele decidiu postergar o anuncio do aceite e um dos motivos foi porque todos ficaram muito consternados com a morte trágica de Sibele. Durante este período nada mudou, Sibila prosseguia sendo cuidada por Mariane, Mirla cuidava da caverna de Jonas, lavava as roupas auxiliada por Ana.
    Em um sábado, Percilio pediu para Jonas reunir os moradores da Grande Pedra logo após o jantar, pois iria comunicar a todos sua decisão de se tornar o novo líder da Comunidade, até aquele dia, pouquíssimas pessoas sabiam dos próximos acontecimentos. Percilio queria retirar finalmente a angustia que invadia seu coração, ele sabia que não havia possibilidade nenhuma de se furtar ao cumprimento de sua última missão, cuidar de seu povo, por isso sentia necessidade de se lançar o mais rapidamente possível ao trabalho. O fato de ter se comprometido consigo mesmo a aguardar o final do resguardo de Mirtes  o deixou muito ansioso mas aguardou até o último dia. Durante estes dois últimos meses muitas vezes se pegou orando para o Grande Deus pedindo sabedoria e discernimento para lidar com os problemas que fatalmente se apresentariam.
    Na manhã daquele dia, antes de cumprir a rotina diária na plantação, ele chamou Mirtes e pediu que o acompanhasse para terem uma conversa. Assim que se distanciaram o suficiente Percilio falou:
    -Mirtes, hoje acaba seu resguardo, a partir de agora você está apta a cuidar de nossas filhas e de nossa caverna.
     Mirtes ficou em silêncio, imaginou que Percilio não mais tocaria neste assunto, afinal suas duas irmãs jamais reclamaram do trabalho extra que elas se comprometeram a executar. Ela já havia se acostumado a ser servida e o fato de se se ver livre de cuidar das duas meninas a agradava sobremaneira. Percilio aguardou algum comentário da esposa mas como este não veio, prosseguiu:
     – Eu decidi anunciar esta noite minha decisão de substituir meu pai na liderança da Comunidade e também que está na hora de termos nossa própria casa. A princípio, pensei em nos mudarmos para a cabana que pertenceu a sua mãe, mas depois mudei de ideia, porque Anita me parece uma criança muito frágil, e lá, ela não terá proteção contra as baixas temperaturas do inverno que se aproxima.
     Finalmente Mirtes retrucou:
     – Percilio, você não pode decidir tudo sozinho e apenas me comunicar, eu também tenho que dar minha opinião, e para mim a cabana de minha mãe é perfeita, eu não gosto de cavernas, são úmidas e sombrias. Anita é apenas um bebê e a dificuldade de respiração vai passar à medida que ela for crescendo.
     O rapaz crispou as mãos, endureceu as feições, olhou diretamente nos olhos da esposa, falou friamente:
    – Você perdeu o direito de dar sua opinião com relação ao que quer que seja, no momento que mentiu para mim. Eu fui enganado por você e sua mãe, portanto, cale-se e me obedeça, eu ainda não terminei.
    A jovem levou um susto, nos últimos meses, Percilio se mostrou muito atencioso, ela pensou que ele já havia se esquecido da armadilha em que foi vítima.
    – Já conversei com meu pai, eu sei que será uma dura batalha, mas nós nos mudaremos amanhã para a caverna de Joninho, a única disponível na Grande Pedra.
    Mirtes sentiu um arrepio percorrer todo seu corpo, ela sabia da relutância de Laurinha de permitir que alguém se mudasse para lá, mas o que mais temia eram os comentários que corriam entre os moradores de que ela era mal assombrada. Respondeu apavorada:
    – Para lá não vou, nem amarrada, tenho medo de mortos que vivem assustando os vivos, e é nesta caverna que mora seu irmão, minha mãe tinha muita amizade com as duas irmãs e Raquel e elas tem certeza que Joninho não descansa em paz, muito pelo contrário, não descansa, vive caminhando dentro  daquela caverna.
    Percilio sabia das histórias que corriam de boca em boca, mas nunca acreditou. Ele preferia continuar morando na caverna de Jonas, mas agora com duas crianças, tudo ficou mais difícil e Mirtes precisava finalmente se responsabilizar por suas próprias obrigações. Mudar-se para a caverna de Joninho lhe pareceu óbvio pois ele não temia a resistência de Laurinha, nem tampouco o fantasma de seu irmão. Jonas a princípio foi terminantemente contra mas depois concordou quando Percilio fez a seguinte colocação:
    – Pai, o Senhor bem sabe como é difícil sobreviver nestas paragens inóspitas e nós não podemos nos dar ao luxo de deixar um cantinho que seja sem uso e nem tão pouco um pedacinho de terra fértil  sem semear uma semente que produzirá alimento para que possamos nos manter vivos.
    Jonas abaixou a cabeça e disse:
    – Você tem razão, mas eu temo a reação de Laurinha, você bem se lembra como ela te recebeu no dia que retornou.
    – Eu sei pai, mas uma das obrigações de um líder é conciliar e buscar o que é melhor para todos, independentemente dos caprichos de cada um, e o Senhor bem sabe que Laurinha não tem nenhum motivo para se portar desta maneira, afinal está bem instalada junto com seus pais e a desculpa de que esta caverna é ocupada por Joninho, não passa de crendices de quem não tem o que fazer.
     Percilio demorou um pouco para se situar e assimilar a resposta de Mirtes. Ela só poderia estar brincando pensou ele. Falou:
     – Vou fazer de conta que não ouvi o que você acabou de dizer, está decidido, nos mudaremos amanhã cedo para a caverna de Joninho.
    Deu a conversa por encerrada e foi em busca dos apetrechos de trabalho para se dirigir a plantação. Mirtes, ficou um longo momento estática, sua cabeça rodava, os pensamentos insistiam em martelar sua mente, não encontrava outra saída a não ser obedecer seu marido. Pensou em abandoná-lo, mas ir para onde? Se perguntou. Pensou em se unir a Laurinha e sua família para impedir que Percilio concretizasse sua decisão, mas isto não adiantaria, ele agora é o líder e a última palavra é dele, concluiu.
     O dia demorou para passar, como todos os moradores da Grande Pedra já sabiam da reunião da noite, a ansiedade era sentida em todas as conversas, alguns especulavam o motivo do convite proposto por Jonas como sendo algo que mexeria com a vida de todos. Com o nascimento de Anita e o silêncio de Percilio em relação a assumir a liderança acabou por jogar uma pá de cal sobre este assunto, ninguém imaginava que um dos motivos daquele encontro seria este anuncio, mas sentiam que era um assunto muito importante.
     Laurinha comentou com a sua família que Percilio jamais aceitaria o posto de líder da Comunidade da Grande Pedra pois tinha receio de sua tenaz oposição. Luizinha, mais realista, disse que ele era um enigma, algo em sua postura lhe dava medo. Raquel por seu lado, concordou com a esposa de Joninho, dizendo que com certeza, o próprio Jonas não colocaria Percilio como seu sucessor pelo simples fato que ele não tinha capacidade de liderança, era tímido e arredio como seus dois irmãos.

continuação….

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s