Mykonos-18

voltar a introdução
voltar a Mykonos-17
    Imediatamente, todos se colocaram de pé e começaram a aplaudir Alberto demoradamente, inclusive Atílio, que não parou um minuto de chorar. Terminada a grande reunião, que deu fim a tanta insegurança. Cada um, a seu modo, agradeceu ao seu Deus particular as boas notícias que haviam recebido, sem esquecerem de pedir uma boa acolhida ao espírito de Alberto. Até Tânia, que já havia se recuperado de sua desastrosa interferência disse ao marido:
    – Alberto era um bom homem, com certeza coisas boas estão para ele reservadas.
    Terêncio até estranhou o tom calmo e solidário de sua esposa, completou:
    – Você tem razão, foi ele que insistiu para que se buscasse compradores do lado oposto da Vila Cantar, se não fosse isso, estaríamos agora em uma grande enrascada. Que o Grande Deus o tenha e o proteja.
    Após este breve e cordial diálogo os dois se entreolharam, pensando em algo particularmente indefinível. O casal buscava em momentos da convivência passada algo que havia se perdido durante os anos de brigas e incompreensão.
    Jonas se recolhera logo após o término das explicações sobre a expedição, ao mesmo tempo maravilhosa e sofrida. Deitou-se sobre a cama rústica cujo colchão era recheado por folhas secas de capim, olhou demoradamente para a cobertura de folhas de palmeira da cabana e pensou:
    – Grande Deus, apesar de todas as boas notícias que trouxemos, precisamos buscar outro local para morarmos, afinal, serei pai novamente e minha obrigação é dar um abrigo melhor para meus amigos e familiares.
    Assim que chegou, recebeu a grande notícia que daqui a aproximadamente seis meses seria pai novamente. As regras de Maila não vieram, e ela aguardava apenas a barriga começar a crescer para confirmar o que Jonas já pressentia. Foi com grande alegria que ela aguardou a chegada de Jonas, mas quando percebeu a gravidade do que havia acontecido durante a viagem, guardou segredo, confidenciando rapidamente apenas com o marido.
    O líder da comunidade estava exausto com os últimos acontecimentos, apesar de ser apenas duas horas da tarde, se rendeu ao cansaço e adormeceu. Passados aproximadamente uma hora e meia, ele começou a sonhar com seu pai que dizia:
    – Filho, Alberto já está conosco. Não se preocupe, ele está bem, apesar da surpresa inesperada, ele já pressentia que isto estava prestes a acontecer, ultimamente sentia dores de cabeça lancinantes, mas para não preocupar ninguém, guardou segredo – era a doença que se anunciava. Outra coisa que não disse, foi que toda a insistência para que procurassem compradores caminhando ao longo da orla foi por conta de sonhos como este em que sua mãe lhe dizia que era no grande porto que encontrariam compradores para a colheita excedente.
    Jonas se remexia muito sobre o colchão, pois tentava em vão falar com seu pai, mas não conseguia. Apenas ouvia o que dizia o velho Messias. Após minutos angustiantes, ele finalmente acordou, suando muito e com a cabeça girando como se tivesse bebido algo muito forte. Sentou-se na beira da cama e pensou alto:
    – Preciso falar com Albertinho agora! Ele disse que logo nos mudaremos daqui, preciso saber de onde ele tirou isso! Afinal, papai deve ter a resposta, mas não me deixou perguntar. Porque será?
    Jonas saiu tão rápido que Maila se assustou e pediu para Joninho ir atrás do pai para ver o que estava acontecendo. O menino, com sua usual perspicácia seguiu o pai sem ser visto por ele. Esgueirando-se por entre os troncos das árvores que eram abundantes por todo o acampamento, viu Jonas entrar na cabana de Beatriz e perguntar por Albertinho. Joninho ficou intrigado, pensou:
    – O que será que meu pai quer com aquele menino tão sonso?
    A resposta veio rapidamente. O filho de Alberto saiu cabisbaixo e convidado por Jonas, sentou-se ao lado do tio em um banco em frente sua cabana. Isto, a poucos metros de onde  Joninho estava escondido e de onde ele podia ouvir perfeitamente tudo que eles diziam.
    Jonas enlaçou carinhosamente o menino e disse suavemente:
    – Filho, preciso que você me explique algo que me disse hoje de manhã.
    Joninho, sentindo uma ponta de ciúmes, aguardou a resposta do primo muito curioso.
    – Tio, o que exatamente o senhor gostaria que eu lhe explicasse?
    Jonas foi direto ao assunto:
    – Você falou que seu pai  estava sentado naquela pedra…
    Apontando a pedra, virou o corpo e viu Joninho escondido por entre as árvores, atrás dele.
Neste momento, uma onda de fúria o invadiu, levantou-se, agarrou o filho pelo antebraço e o arrastou até a sua cabana, deixando Albertinho paralisado de medo pela sorte do primo. Ao ver o marido entrando com o filho gritando por socorro, Maila se postou diante deles e disse:
    – Solte meu filho, seu animal!
    Jonas parou onde estava e soltou o menino com tanta força, que ele bateu a cabeça na mesa de madeira no centro do pequeno aposento. Maila aos prantos, abaixou-se para socorrer o filho. Em seguida, Jonas saiu novamente, sem ao menos olhar se o garoto havia sofrido algum ferimento. Ao se recuperar do susto, sem ter sofrido nada de grave com a queda, Joninho disse para mãe que seu pai tinha se zangado porque ele perguntou o que ele queria conversar com Albertinho? Omitindo o fato que estava ouvindo a conversa escondido. Maila achou desproporcional a reação do marido e saiu atrás dele. Joninho, como sempre, havia conseguido mais uma vez colocar a mãe contra o pai, pois a seguir, assim que Maila viu Jonas conversando com Rafael como se nada tivesse acontecido, investiu contra ele, com toda sua ira, dizendo:
    – Você maltrata meu filho só porque ele é muito mais inteligente que você. Se ele te perguntou o que você queria com Albertinho era porque queria ajudar, não merecia ser tratado da maneira que foi.
    Sem entender nada, Jonas pediu licença para Rafael, segurou no braço da esposa e a conduziu para dentro de sua cabana, dizendo que este era um assunto particular e devia ser tratado dentro de casa. Ao adentrarem na humilde habitação, Joninho estava deitado, olhando pro alto como se estivesse colhendo os louros da confusão que havia causado. Maila o abraçou dizendo:
    – Nunca mais toque no meu filho, ele é um incompreendido por você!
    Jonas calmamente segurou a mão da esposa, dizendo:
    – Esse teu filho, incompreendido por mim, é um mentiroso da pior espécie!
    – Como assim? Gritou Maila.
    Joninho levantou-se rapidamente, falou:
    – Mamãe, não acredita nele, eu sempre digo a verdade! Meu pai é que é um mentiroso!
    Diante de uma situação tão complicada, o marido se calou, pensando apenas:
    – Onde erramos com este menino? Ele só tem sete anos, e quando for adulto? Quem o ensinou a ser tão maldoso? Porque Mirla é tão diferente? E nosso próximo filho, será como este?
    As perguntas eram muitas, mas todas aparentemente sem respostas, o que Jonas não sabia, era que Joninho era o mesmo Minélus da vida em Contantinopla e Maila era Tia Croele, a mesma mãe protetora e cega da outra encarnação, que desta vez viveria o suficiente para se arrepender das atitudes tendenciosas tomadas em relação ao filho. E ele próprio pertencia a uma família de médiuns, tinha sido irmão de Maila em Constantinopla e respondia pelo nome de Nuno. Se soubesse deste detalhe, muitas perguntas seriam automaticamente respondidas. Porque ele conseguia falar com os mortos? Porque Joninho tinha aquela personalidade? Porque Maila o tratava com tanta deferência?
    No futuro, receberia em seus braços, como sua neta, a mesma filha que amou incondicionalmente em tempos passados. Só aí começaria a entender que existia algo que unia ou desunia as pessoas, fugindo de nossa precária compreensão e que isto só poderia ser a reencarnação, regida por um poderoso maestro que conhecia a vida de cada um e colocava um diante do outro novamente para que algo que deixou de ser feito pudesse ser concluído.

continuação…

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s