Rico e Pobre

Longe de mim
Fazer críticas
A decisões alheias
Se a consciência
Se sente livre
Para optar

Quem sou eu
Para palpitar
O livre arbítrio
Dá a liberdade
De escolha

Mas, em se
Tratando
De reencarnar
E escolher
Entre
Ser rico e
Ser pobre
Posso
Dar cá
Minha opinião

Assim que as
Trombetas Celestiais
Tocarem
Convocando
O Espírito
Despido do corpo físico
A retornar
Não tem jeito!
Tem que obedecer

Sob o risco
De Deus determinar
Você volta!
Está decretado

Mas, digamos
Que o candidato
A filho prodigo
Aceite de pronto!

Bem… aí começam
Os preparativos
Pergunta daqui
Pergunta dali
O novo pai
A nova mãe
Os novos avós
Irmãos
Tios
Todos aceitaram

O aceite selado
Lá vem os detalhes
Você quer ser homem
Ou mulher?
Quer ser rico
Ou pobre?

O quê!!!
Escuto a indignação
De muitos…
Então fui eu que
Escolhi
Viver nesta pobreza?
Neste país?
Neste corpo de homem?
Ora! Que bobagem!
Isto é impossível!

Novamente eu
Com a palavra…
Não só é possível
Como representa
A mais pura Verdade

Conclua então
Que tantas
Reclamações
Não tem razão de ser

Você é pobre!
Mas é isto
Que o fará
Mais feliz
Pois avançará
Cumprindo
Seu caminho
Em direção
A melhorar-se

Você é homem!
Porque ser mulher
Não te permitiria
Trabalhar
Sem parar
E cuidar dos filhos

Você é brasileiro!
Porque quando
Foi americano
Assoberbou-se tanto
Que se esqueceu
Que ser negro
Não é castigo
E sim escolha

Tudo são escolhas
E não pense
Que quem preferiu
Ser rico
Acertou!

Este deverá
Honrar sua escolha
Cuidando do irmão
Ao seu lado
Com desprendimento
E alegria

Só assim
Superará o ônus
De ter se comportado
Com mesquinhez
E egoísmo
Em vidas passadas

Portanto,
Rico ou Pobre
Tanto faz
O importante
É agir
Conforme
Se comprometeu
Antes de reencarnar

E Deus,
Como o sábio dos sábios
Sabe que VOCÊ
Estava certo
Quando escolheu
Ser pobre
Brasileiro
Homem

Então
Faça sua parte
Pare de reclamar
E CRESÇA!!

Poeta Estelar
by Elza Horai


Dinheiro não compra Luz

Olhando dois seres encarnados, temos a impressão que não existe diferença que os coloque em patamares diferentes com relação a vibração interior que sustenta aquelas vidas. Aparentemente não se pode dimensionar a aura que envolve cada corpo e muito menos saber se aquele espírito pertence a alguém que já galgou muitos degraus no caminho da evolução.
Muito já se tem dito a respeito da energia que envolve tudo e todos, algumas considerações são recheadas de pontos que não passam pelo crivo do bom senso, mas outras, se aproximam muito da verdadeira essência deste conglomerado de filamentos invisíveis que só poderiam ser concebidos pela sabedoria Divina.  Em se tratando de um assunto tão polêmico, podemos afirmar com categoria que o espírito é invisível mas tem o peso de algo, que se não existisse, traria o caos ao belíssimo cenário que se pode apreciar através dos olhos perecíveis.
Mas além do espírito que é composto de energia em vibração constante, tudo ao redor também vibra, até mesmo os pensamentos e os sentimentos, gerando feixes de energia mais brilhantes e translúcidos ou mais escuros e densos, mas mesmo assim invisíveis, a não ser que se tenha a mão, aparelhos especiais capazes de detectá-las ou médiuns dispostos a visualizá-las.
Fazendo um paralelo a tudo que dissemos acima, vamos fazer uma brincadeira, tomemos um maço de dinheiro vivo, notas de alto valor recém impressas na casa da moeda. Tomemos alguém que não se preocupa muito em juntar dinheiro, vamos chama-lo de Luiz e outra pessoa, sovina, a ponto de negar-se a pagar os estudos dos filhos, este, chamaremos de João. O que vemos daqui, a anos luz de distância da Terra? Ao determos o olhar na casa de Luiz, um brilho suave emanado de seus pensamentos que focam apenas em dividir e não em juntar, transpassa o telhado, e nos brinda com a energia do Amor. Luz, da mais alta qualidade!
Voltando ao maço de notas de dinheiro, ele está acondicionado em um cofre, muito bem guardado, na casa de João. O que vemos daqui? Não vemos! A vibração do dinheiro, da ganância, é tão baixa, que se confunde com o gramado, o solo, o asfalto. Nenhuma Luz, apenas um borrão de difícil visualização.
Final da história, nós vemos Luiz e sua casa, onde todos são bem-vindos. Emanamos energias que levam auxilio, direcionamento, cuidado. A casa de João e o próprio João, não está ao alcance de nossos olhos, vibração baixa nos repele e impede que auxiliemos. Quando o filho mais velho, revoltado de tanto desdém, disse que iria embora e nunca mais voltaria, João clamou que não fosse, mas sua voz foi abafada pela vibração do dinheiro que não compra Luz, apenas objetos sem serventia, que na hora da aflição não servem para nada.
Osmar Silva
Membro da Plêiade do Amor Universal
by Elza Horai

 

Imagem de apresentação do post – pixabay.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s