Borboletas Azuis

Vejo uma
Vejo duas
Vejo centenas
Vejo milhares…

Vale perdido
Montanhas ao longo
De um corredor florido
Como cobertura: o Céu!

Azul como as borboletas
Que bailam desordenadamente
Ao sabor da brisa suave

A garotinha dos cabelos dourados
Completa a cena
Digna de ser fonte inspiradora
Do grande Mestre!

Onde? Quando?
Não aqui, garanto!
Em um átimo de tempo
Perdido em um futuro distante
Ou talvez, em um passado remoto

Mas a garotinha, sabemos…
Breve renascerá
As borboletas azuis
Doam energias sutis

Para que esta vida
Diferente das outras
Seja pontuada
Com momentos especiais

Nos quais, antigos algozes
Reconhecerão seus erros
Se curvarão aos dons
Da linda menina
Tratada como alguém
Indigna de ser considerada
Com carinho e louvor

Renascerá e se juntará
Aos seus pares…
Muitos companheiros
Da última vida

Desencarnar
Voltar e reencontrar
Velhos amigos
Seus amores de sempre

As crianças, agora adultas
Que um dia
Se aconchegaram
Em seus braços

Provas?
Para um bom Filho de Deus
Meia palavra é suficiente
Tudo dito e comprovado

Basta ter fé
E sensibilidade aguçada
Para sentir as
Energias presenteadas
Pelas borboletas azuis
Que plainam aos milhares
No Vale Encantado!

Localizado na centelha de tempo
Entre o último suspiro
E um novo
Primeiro golfar de ar

A menina dos cabelos dourados
Voltará!!
E se aconchegará
Nos braços de seus filhos
Deus assim quis!
Assim será!

Poeta Estelar
by Elza Horai


O Breve Retorno

Saber que a vida continua é algo reconfortante, traz consolo e equilíbrio no momento em que a separação é inevitável, mas vocês já pensaram no momento do retorno? Muitos dizem que pode demorar dezenas, até centenas de anos terrenos, outros mais, que pode jamais ocorrer. Todos tem um pouco de razão, mas o que ocorre com mais frequência é um rápido retorno, mas isto, é muito difícil de entender e até mesmo de aceitar.
O simples fato de imaginar que a mãezinha querida pode voltar vestindo o corpo de um neto ou até mesmo de um irmão, é algo assustador. O papai que ficou viúvo, pode casar novamente e trazer ao mundo uma criança que carrega o mesmo espírito da esposa que se foi. A gravidez pode ser tardia, a ponto da vovó não ter tido tempo de conhecer o netinho, pois desencarnou antes de sua chegada, mas, vocês já pensaram que o novo bebê pode ser a vovó que se foi anos atrás?
Confuso, estranho, inaceitável! Estas mesmas características podem ser utilizadas para se fazer referência a inúmeras criações do Senhor Deus, entre elas, uma rosa perfumada, tão perfeita que se buscar entender como ela desabrochou, chega-se à conclusão que é muito estranho, uma planta espinhuda como uma roseira, explodir a beleza de uma belíssima flor.
Pensar em reencarnar é algo que leva a muitos questionamentos, pensar em reencarnar e reencontrar aqueles que já tiveram a oportunidade de dividir os mesmos anseios, as mesmas dores, as mesmas conquistas, é algo confuso, estranho, inaceitável, porque é tão maravilhoso que o combalido homem terreno não acredita que pode ter este merecimento… só isso!
Osmar Silva
Membro da Plêiade do Amor Universal

imagem de apresentação do post pixabay.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s