Lançando Dardos

Ninguém é perfeito!
Apesar que muitos
Acreditam
Piamente
Que são

Olham ao redor
Miram
A metralhadora
Do olhar fulminante
E começam
A vomitar
Conselhos…
Insinuações…
Desrespeito…
Como se
Fossem
Donos da verdade
Absoluta!

Alguns se abaixam
Outros devolvem
Outros se afastam
Outros mais choram

Mas no fundo…
Os pretensos
Perfeitos
Espalham mesmo
É a desunião
A discórdia
A raiva
O desamor

Entra ano
Sai ano
E não há

Como concluírem
Que são mesmo
É aprendizes
Imperfeitos
Sujeitos
A todo tipo
De erros

Gostaria mesmo
É que todos
Aqueles
Que em um momento
De lucidez
Murmuraram:
Será que sou assim?
Me escutassem
Com toda atenção

Antes de levantarem
O olhar recriminador
Fechem os olhos
E visualizem
A Luz do Sol

Antes de abrirem
A boca mordaz
Engulam a seco
E façam
Uma breve oração:
Senhor me guarde!

Antes de levantarem
O dedo acusador
Crispem as mãos
E respirem fundo

Antes de formatarem
O primeiro pensamento
De discriminação e crítica
Se recordem que
Deus vê tudo

Antes de se auto proclamarem
A perfeição em pessoa
Se lembrem:
Ninguém está aqui
A passeio

Todos foram matriculados
Na Escola Terrena
Porque precisam
Aprender
Entre outras coisas
A respeitar o próximo
E valorizar o
Dom sublime
Da humildade!

Poeta Estelar
By Elza Horai


Pegando Dardos?

A medida que se tenta segurar um dardo lançado por alguém, certo de que está fazendo o correto, pode-se sair ferido ou talvez conseguir mesmo deter a trajetória do dardo… Mas porque tanto sacrifício? Aquele que se apossou de um dardo, mirou, lançou… é por que tem certeza que acertará um alvo, se não acontecer, é claro, que tomou os devidos cuidados para que o espaço ao redor da mira esteja protegido a ponto de não se colocar alguém em risco, a princípio, não haveria necessidade de ninguém se preocupar em deter sua trajetória, afinal, quem se utilizou dele já tomou os cuidados necessários. Afirmação correta em se tratando de um atleta profissional que treina para participar de uma competição, ou mesmo, um grupo de amigos que em momentos de lazer se divertem competindo para premiar quem tem a mira mais precisa.
Analogias à parte, mas em se tratando de dardos confeccionados com palavras aquém de qualquer qualificação linguística, com olhares maliciosos, com gestos agressivos, com pensamentos vibrando ódio, rancor, ou mesmo, pretenso cuidado… paramos pensativos, e o alvo? Perguntamos curiosos! É claro que neste caso, é alguém que vê seu direito de ser tratado com amor e respeito – direito este –  legado por nosso Pai Maior, cerceado, implodido, negado.
Algo soa falso quando alguém aponta o dedo e diz: Te amo! Mas você é isto, aquilo, aquilo outro… Neste caso, não se sabe o que é amar! Amar é: Respeitar, Valorizar, Cuidar. Amar é: Orientar, Educar, Sorrir. Amar é: Enxergar o outro exatamente como você é, um aluno em aprendizado, fazendo escolhas, melhorando-se. Amar é: Jamais concluir que sua maneira de ver a vida é a única correta e tentar impô-la a quem quer que seja. Portanto, façam como o atleta que treina para uma competição, como o grupo de amigos que se divertem em um domingo de sol… cuide para não mirar seu dardo no coração daqueles que te escolheram como companheiro de jornada, abatendo-os um a um, pois breve, a solidão e seu dardo impreciso serão os únicos que suportarão sua falta de mira.
Osmar Silva
Membro da Plêiade do Amor Universal

Imagem de apresentação do post pixbay.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s