Luar Prateado

Que distância
A lua está da Terra?
É a pergunta
Que ouvimos
Centenas de vezes
Partindo
De um batalhão
De crianças…

Está… hum… vamos ver…
Não sei!!
Responde o pai de Jorginho
Com a indecisão
Estampada no rosto

Como assim! Não sabe?
Insiste o garoto
Aposto que vovô saberia
Mas agora ele mora…
Lá longe… no céu…

Então vou pesquisar
Depois te falo
Antecipou-se papai
Jorginho pensou
Um pouquinho
E disparou:
Não precisa procurar
Eu já sei!

Como assim?
Já sabe?
Se acabou de me perguntar?
É claro
Que não sei em metros
Detalha o garoto …
Se podemos vê-la daqui
Brilhante e prateada
Deve estar à distancia
De alguns centímetros

Não!! Você errou!!
Se estivesse tão perto
Poderia pegá-la
Interrompeu o pai

É evidente
Que sei disso
Mas os centímetros
Que falo
São os centímetros de Deus

Vovô me disse
Que foi Deus
Que nos deu
A Lua de presente

Por isso,
Para podermos
Observar o presente
Ele tem que estar
Bem perto…

Terminado o passeio
Pai e filho
Voltam pra casa
Na hora da oração da noite
O garoto pergunta
Para mãe:
Você disse que vovô
Foi morar no céu
E porque não
Consigo vê-lo
Se a Lua está lá também
E eu a vejo bem grandona!

Mamãe pensou um pouco
Mas antes de responder
Jorginho se antecipou:
Não precisa responder
Eu já sei!

Como assim, já sabe!
Se acabou de me perguntar
É que pensei um pouco
E descobri…
Eu não consigo ver vovô
Porque ele mora
Atrás da lua!

A mãe sorriu
Com a imaginação
Do filho
Agora, quem perguntou
Foi ela:
Se vovô mora atrás da lua
Porque quando a lua
Está bem fininha
Você também
Não consegue vê-lo?

O garoto levantou-se
Olhou firmemente
Prá mãe
E disse:
Como você é boba
Vovô não é pintor?
Mamãe balançou
A cabeça afirmativamente

Então…
O luar não é prateado?
Toda noite vovô
Pinta a parte de trás da Lua
Para que no dia seguinte
Quando ela virar
Eu possa ver daqui
E quando ela está fininha
É porque vovô está descansando
Pra poder pintar
No dia seguinte

Ao ouvir isso…
Mamãe chamou papai
Conversaram um pouco
E decidiram
Contar a verdade
Afinal o filho
Já tinha quase seis anos
E precisava aprender
Que o brilho da lua
Se deve ao reflexo do sol

Conversa vai
Conversa vem
Explicação e mais explicação
Jorginho ouvindo atento
Sem interromper

De repente,
Pede a palavra e fala:
Entendi tudo
Vovô mora no céu
Porque ele foi bonzinho
E eu não o vejo
Porque agora ele
É um espírito
E nós não podemos
Ver os espíritos!
Correto filho,
Aplaudiu o Pai

E a lua é prateada
Porque o sol
Que aquece o dia
Durante a noite
Reflete sua luz na Lua
E ela fica toda brilhante!
Perfeito filho,
Comemora a Mãe

É! Mas eu já sabia
De tudo isso
Vovô já tinha me explicado
É que agora eu sei
Que ele falou tudo certinho

Tinha esperanças
Que ele tivesse se enganado
Pois seria muito bom
Que quando ele terminasse
De pintar a Lua
Ele voltasse pra casa!

Crianças são assim…
Imaginação
Que não acaba mais
Mas neste caso,
Fico feliz em esclarecer
Jorginho tem razão!
Pelo menos na parte
Que ele diz:
Vovô mora atrás da Lua!

Vocês sabiam
Que nossa casa
Fica realmente
Atrás da lua?
Pelo menos
A casa daqueles
Que foram bonzinhos
Enquanto
Moravam na Terra

Surpresos?
Então, vou explicar
Um detalhe
A lua é uma
Usina de energia
Que comanda as marés
O nascimento dos bebês
O humor da mulherada

As Colônias Espirituais
Emitem vibrações energéticas
Para sustentá-la
E ao atingir o Planeta Terra
Faz tudo que acabei de dizer
E mais:
Inspira
Os enamorados
Os cantores boêmios
Os animais de hábitos noturnos

Digamos que a lua
Forma um cinturão de energia
Ao redor do Planeta
E Nós, Espíritos desencarnados
Que elegeram o crescimento
Como companheiro de jornada
Moramos atrás deste cinturão
Então,
É correto dizer:
Moramos sim,
Atrás da LUA!!

Poeta Estelar


Colônias Espirituais

As mesmas estruturas físicas disponíveis sobre o solo terreno, existem também nas Colônias Espirituais espalhadas ao redor do globo terrestre. O que ocorre, é que muito se especula a respeito da invisibilidade existente a partir de olhos que se fixam no horizonte em busca de enxergar algo que confirme tal afirmação.  A sintonia existe, isto é algo que ninguém ousa contestar, em especial quando se analisa os efeitos dos corpos celestes sobre a vida terrena; tudo parece obedecer uma sinfonia afinadíssima que comanda cada estrutura que compõem o imenso Universo.
A curiosidade com relação a existência ou não destes recantos invisíveis é algo que sempre intrigou os homens de todos os tempos; caso houvesse uma comprovação cientifica, se obteria a certeza que a vida continua em outras esferas, mesmo depois que o corpo terreno tenha perdido o sopro da vida. Cada um, a sua maneira, tenta imaginar como seriam estes locais tão especiais.
Depois da publicação do Livro “Nosso Lar”, na qual André Luiz relata detalhes da vida nesta Colônia; foi possível formatar superficialmente como seria a vida daqueles que integram aquela comunidade, mas mesmo assim, muitas dúvidas ainda persistem. Longe de nós tentar sanar estas interrogações, o que podemos esclarecer é que a energia que envolve o Planeta Terra, é emitida, em grande parte, pelas Colônias Espirituais; e é ela que permite a sustentação da vida sobre o Planeta Azul. Incluindo aí, a luz amena emitida pelo sol quando atinge o solo terreno, caso não houvesse a intermediação da energia das Colônias Espirituais, as altas temperaturas  impediriam que a vida se sustentasse; isto, sem nos referir, ao crescimento das plantas, o fenômeno da fotossíntese que purifica o ar e que é o pilar da existência humana, o equilíbrio perfeito das marés que como comandadas pela baqueta de um maestro permite que os oceanos prossigam fornecendo alimento e embelezando o horizonte.
Existe algo nesta emanação de energia, que traz claramente noticias de como estão os seus habitantes. A energia consciêncial construída durante a vida terrena permanece vibrando sustentando o espírito, agora despido do corpo físico. Dentre os encarnados, a mesma energia consciencial vibra initerruptamente buscando sempre seus pares, e por incrível que pareça, não só a energia gerada por pares encarnados mas também aqueles que já desencarnaram, e aí, nesta fusão energética, a intuição se aguça e pronto, notíciais chegam a todo momento. É claro, que não da forma usual, um jornal, uma revista, mas, é muito comum se ouvir: Tenho certeza que papai está bem, esta noite sonhei que vovó está cuidando dele; ou algo parecido, como: Mamãe prossegue cozinhando como fazia aqui. Imaginação? Invenção? Subterfúgio para amainar a saudade? Garanto que não, assim como outros tipos de energia, a energia consciencial é absolutamente precisa, jamais erra o alvo, e não me perguntem por quê; eu também não sei, este é um dos segredos guardados a sete chave nos Laboratórios de Deus.
Aimanon Constantinus Crione

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s