Certeza Absoluta

Como menino
Traquinas
Que um dia
Olhou
Para o amiguinho
Dizendo:
Tenho certeza absoluta!!

Vocês!!
Homens barbados
Mulheres adultas
Jovens curiosos
Idosos joviais
Tenham certeza absoluta:
A Fé remove montanhas!

Que bobagem!
Isto já sabemos!!
…Consigo captar
Com minhas
Antenas sublimes…

Então, vamos
Destrinchar
Este ensinamento
Que todos sabem
Mas poucos entenderam

O que é ter fé?
É acreditar sem ver
Ou
Ver para acreditar?


Estão pensando??
Pois é!!
Já captei…
Resposta:
É acreditar sem ver!

Então,
Vamos analisar novamente
Se ter fé,
É ACREDITAR SEM VER!

Por que
Tantos pedidos de sinais
Para confirmar
Se Deus existe?

Por que
Tantos protestos
Quando intuímos:
Sejam tolerantes
Sejam humildes
Sejam unidos

Por que
Tanta curiosidade
Em saber
Quem é minha
Amiga Parceira?

Por que
Tanta negativa em
Ler
Aplicar
Ponderar
Divulgar
Meus “chacoalhos”
De Amor?

Por que
Você não pede
Pessoalmente
Que Deus te auxilie?

Por que
Tanto melindre
Em aceitar
A religião de seu irmão
Se partilham a mesma fé…
No mesmo Deus?

Resposta:
Por que
Apesar de afirmarem
Que são homens e mulheres
De fé!!
Ainda precisam
Ver para acreditar

Talvez nem assim…
Para muitos,
Mesmo o Criador
Se fazendo visualizar
Alguns dirão:
É um truque
É uma alucinação
É impossível
É um impostor
É culpa sua, que me deixou lelé!!

Então minha gente,
Se inspirem
No menino traquinas
Na menina idem
Que um dia vocês foram

Acreditem…
Vivenciem…
Compartilhem…
O que você um dia afirmou:
Tenho certeza absoluta…

Talvez baseado em um
Motivo bobinho
Mas o que importa?
O importante
É que você sabe
O que é
Ter certeza absoluta!

Então, partindo desta certeza
Complete
Tenho certeza absoluta:
Que Deus existe e jamais me abandona
Que não preciso visualizá-lo para ter fé
Que ele nos pede tolerância, humildade, união
Que ele não tem intermediários, fala direto ao meu coração
Que os “chacoalhos” são  a tradução de seu amor por mim
Que todos somos irmãos e filhos do mesmo Pai

Cristalizou esta certeza?
Então
Tenha certeza,
A sua fé remove montanhas
E a fé de todos juntos
Transformarão o Planeta Azul!

Então
Tenha certeza,
A sua fé remove montanhas
E a fé de todos juntos
Permitirão que a luz
Adentre cada cantinho
De suas vidas
Trazendo equilíbrio e paz

Mas por enquanto,
Dêem uma mãozinha
Para seu Espírito eterno
E teimoso…

Abram seus corações
Redirecione sua mente
Ponderem minhas colocações
Aceitem…
Caso lhe parecer correto

E boa sorte!!
Ou melhor
Muita fé…
Verdadeira!

Aquela que ninguém
Precisa saber…
Você
Espalha
Compartilha
Ensina
Mas não alardeia…
E de repente!!
A montanha foi removida!!

Poeta Estelar

 


Porque é preciso ver?

O corpo humano, apesar de perfeito, com sistemas interligados que mantêm o ritmo da vida sem maiores esforços, acaba por ser confundido, como o único responsável pela geniosa capacidade da mente. Imaginar que os pensamentos se originam em um conjunto de células, cuja sobrevivência, se deve única e exclusivamente a uma hidratação adequada e a uma alimentação rica em vitaminas e sais minerais; é estar totalmente equivocado, dando uma importância maior a um envoltório perecível do que a extensão da essência divina que se aloja em seu interior: O Espirito Eterno!
Com base nesta colocação, é natural que os olhos terrenos, que sofrem de miopia, hipermetropia, vista cansada, sejam supervalorizados. É só acreditar que o corpo físico é mais importante que a energia consciencial que o coloca em pé todos os dias, que se instala a confusão. É preciso ver, porque tudo que é visível, tem brilho, cor, profundidade, espessura, e isto, dá concretude a uma suposta caraterística de valor. Uma rosa merece a designação de maravilhosa porque os olhos deram a ela esta determinação. Um jacaré pode ser considerado feioso porque os olhos que o observaram decidiu que um animal rastejante, de cor indefinida, olhos saltados, boca desproporcional, só pode ser classificado como tal.
E se estivermos conversando com alguém cego? Ele pode dizer: Não sei como é uma rosa e nem tampouco como é um jacaré, por isso não posso saber se são maravilhosos ou feiosos, mas uma rosa tem um perfume inebriante, por isso posso afirmar que ela me traz lembranças de dias felizes; um jacaré espreita no pântano, espera o momento certo para abocanhar sua presa, que pode até ser um homem, portanto, ele me dá medo. Este depoimento nos faz ver que não é necessário enxergar, na verdadeira acepção da palavra, para se formar um conceito preciso de tudo que se põem ao nosso redor. O cego, interage com o meio em que vive, assim como um deficiente físico ou mesmo alguém isento do sentido do tato ou da audição.
Então, “o precisar ver”, não é algo absolutamente necessário para se integrar com o meio em que vive. O corpo físico, sempre encontra soluções geniosas, para suprir esta ou aquela deficiência. Isto lhe dá o poder de se auto ajustar à medida que isto se faz necessário. Ao contrário do Espírito, que se aloja dentro dele, por ser invisível, imponderável, impalpável, não se tem a noção de quanto ele se adapta a esta ou aquela situação, o que se sabe, é que ele pesa exatos 21 gramas, portanto existe!  Elucidando melhor, seu peso varia de acordo com sua vibração, mais densa ou mais sutil; vinte e um gramas, é o peso equivalente àqueles que menos pesam, por isso no momento do desencarne o espírito/alma se desprende, ganha altura, muito mais rapidamente. Pode-se fazer a conferência, a balança dirá, que o corpo daquele senhor bondoso que acabou de falecer, está vinte e um gramas mais leve. Esta é a única prova cabal da existência do espírito, e mesmo assim, muitos fazem chacota desta constatação.
Como não se visualiza o espírito, crer na sua existência é um exercício de fé e persistência. Como todos os desencarnados não possuem o corpo físico, para eles, é muito mais fácil ter o entendimento de quanto ele é plástico, se adaptando rapidamente a caldeira energética que o mantêm vibrando: os pensamentos que geram a vontade, que geram a adaptabilidade, tornando-o mais leve ou mais denso. Em se tratando de um encarnado, ou seja, o espírito, que quando nesta condição – abrigado dentro de um corpo físico – é também denominado como alma, é muito mais difícil entender, pois os olhos terrenos exigem que ele seja marcado por um contorno, uma profundidade, uma cor; e como isto, não é uma característica inerente a sua essência, instala-se a incredulidade: Como não se pode ver, portanto, ele não existe!
Para aqueles que se baseiam apenas na fé, o espírito/alma é tão concreto, como a certeza do cego que a rosa é sinônimo de felicidade e o jacaré sinônimo de medo. A conclusão que se chega é – não é necessário ver, não é necessário provas; a fé e a esperança de cada um é que determinarão a concretude de sua alma… dos espíritos de seus antepassados… de Deus… dos céus…
Osmar Silva

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s