Crianças Abandonadas

Sinceramente,
Este é um assunto
Pra lá de polêmico!
Em um primeiro momento
Pensa-se em crianças
Que vivem nos lixões
Pedem esmola nos faróis
São deixadas recém-nascidas
Em caixas de papelão

Vou esmiuçar
Um pouco mais
O Universo destas crianças
Estas que relatei acima
Representam
Uma ínfima parte
Dos meninos e das meninas
Abandonadas…

Vocês já pensaram
Que uma criança
Que mora em
Uma casa confortável
Possa ser incluída
No rol destas crianças?
Ou aquela que
Estuda em um colégio particular
E viaja todo ano
Para o exterior?

Podem sim!
Afirmo eu,
Com toda certeza!
Abandono físico
É apenas uma
Das formas de abandono
O abandono intelectual
O abandono moral
O abandono espiritual
É muito mais comum…
Com a agravante
Que passa ao largo
Dos olhos terrenos
Que acompanham
O crescimento da criança

Às vezes,
Confunde-se abandonar
Como forma de educar
Há casos
Que professores
Terapeutas
Parentes mais atentos
Médicos
Detectam o abandono
Mas quando
Comunicam
Aos gestores diretos
Da educação desta criança
São chamados
De incompetentes
Intrometidos
Desequilibrados

Aí, só resta
A criança abandonada
Se conformar
Com a própria sorte
Ou esperar
Que um milagre ocorra

E foi o que aconteceu
Com uma garota
Que tivemos o prazer
De acompanhar
Seu desenvolvimento

E não me perguntem
Porque?
Só ela… no meio de tantas
Crianças abandonadas
Em seus próprios lares
Teve o privilégio
De ser acompanhada
Por um Poeta pentelho
Posso dizer apenas:
É o Amor…
Que remove montanhas
Que faz milagres!

Imaginem,
Abandonada e… Especial…
Mais difícil ainda!
Mas…
Pera lá!!
Ela não é Especial!
Parece que é
Deficiente mental
Mas não é!
Muito pelo contrário
É inteligentíssima…
Muito mais
Que a irmã mais velha

E os médicos?
E os exames?
As ressonâncias?
As investigações genéticas?
Tudo bobagem…
Em desdobramento
Ela é exatamente
Como deveria ser:
Articulada
Mente ágil
Interessada
Em aprender mais

Afinal,
Nesta vida
Seria a Médica
Que traria
Os primeiros estudos
Concretos e reais
Da cura do câncer
E neste dezembro
Se casaria
Com aquele
Que renasceu
Para ser seu marido

Mas porque
Deu tudo errado?
Afinal,
Ela é deficiente mental
Aos olhos terrenos…
A resposta é apenas uma:
Porque foi abandonada!

Na verdade,
Teve tudo do bom e do melhor
Mas não recebeu o
Mais importante:
Atenção!
Pois, assim que nasceu
Um esquecimento fatal
Pois tudo a perder…
E na sequência
A postura não mudou…
Esqueceram de lhe dar ouvidos
Esqueceram de colocá-la na cama
Esqueceram de curar suas dores

Mas como já disse
Ela é privilegiada…
O Amor
Vindo do Alto,
Está devolvendo
Um pouco o que lhe foi negado
Por tantos anos…

Mas a próxima encarnação
Será o ápice
De sua redenção
Aquilo que lhe foi tirado
Nesta oportunidade
Encarnatória
Por negligência
De pais preocupados
Apenas com suas
Próprias necessidades
Lhe será devolvido…

E mais,
Receberá
Um novo pai
E uma nova mãe
Cientes
Que o abandono
É a pior maneira
De se conduzir
A vida de um filho!
Seja ele
Físico, Moral, Intelectual ou Espiritual!

Poeta Estelar


Em Casa é Diferente

Já ouvimos falar ou até mesmo conhecemos, pessoas que não fazem o que dizem. Aquela máxima caipira por fora bela viola, por dentro pão bolorento é uma definição precisa para este tipo de atitude. Não adianta apregoar bondade, caridade, se no fundo o que se vê é exatamente o contrário. Podemos levantar muitos exemplos desta colocação, mas hoje vamos nos centrar apenas nos pais que se auto denominam carinhosos, condescendentes, protetores e quando se observa sem as lentes terrenas, vemos agressão, imposição, abandono. Em se tratando de seres humanos em aprendizado vivendo em um Planeta de regeneração até que se pode compreender tal atitude, mas se desviarmos o olhar e forcarmos em alguém que recebeu o presente de cuidar de um filho de Deus, a conclusão não deixa dúvidas, este pai e esta mãe são merecedores de prosseguir aprendendo, mas não tendo mais o privilégio de receber em seu lar, uma vida que deveria ser cuidada e amada, para que possa, no futuro, cuidar de outras vidas com cuidado e amor.
Não é de se espantar que muitos casais encarnados não conseguem ter seus próprios filhos. Perder esta concessão é um alerta do Alto para que jamais se repitam atitudes arbitrárias que excluem cuidados a um filho. Existem muitas alegações terrenas para justificar tal fato: alterações irreversíveis no aparelho reprodutor, problemas hormonais, problemas psicológicos e dezenas de outros. As afirmativas do Alto são: tratar o fruto da bondade de Deus com desdém é o mesmo que rechaçar um presente oferecido com as luzes do Amor.
Aimanon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s