Até que Enfim

Sussurrando
Pelos cantos
Terezinha
Se entristece

Por não
Poder cantar
Como antigamente

O Dom
Tão afinado
Que fazia
Suas cordas
Vocais
Vibrarem
Feito cordas
De um violino

Se foi…
Sem aviso
Um dia
Ela se levantou
Pela manhã

E por mais
Que tentasse
Não conseguia
Emitir
Nenhum som

A não ser
Um grunhido
Desafinado

O que será
Que aconteceu?

Os médicos
Disseram
Que não sabiam
O motivo

Sua professora
De canto
Levantou a hipótese
De ser
Um trauma
Causado
Pelo gosto
Incontrolável
Por sorvetes

A mãe
Ficou
Muito aborrecida
Pois a menina
Era sua esperança
De dias melhores

Vocês
Estão curiosos
Para saber
O que aconteceu?

Então
Vamos dizer…

Um dia antes
Da fatídica
Manhã

A garota
Acordou
Com um
Nó na garganta

Tinha sonhado
Com grilos
Cantando em
Seus ouvidos

Como assim??
Perguntou
A mãe empresária

Assim que soube
Do enigmático
Sonho
Foi direto
Consultar no google…

Seus olhos
Se transformaram
Em cifrões
Quando leu
Lucros
Prosperidade financeira
Bom presságio

Que maravilha!
Exclamou
Esfregando as mãos

E no dia
Seguinte…
A voz afinada
Se foi

Única e exclusivamente
Porque o som
Emitido pelas
Cordas vocais

Tem o poder
De se conectar
A vibração
Do Amor

Portanto,
É um Dom Divino!

A energia
Do dinheiro
Ofusca
Impede
Atrapalha

E foi
O que aconteceu…

A ganância da mãe
Chegou até aqui
E nós
Servidores do Pai
Nos movimentamos…

Com autorização
Precisamos
Interferir

Terezinha
Gostou?
É claro que sim!

Apesar
Do susto inicial
Depois
Se sentiu
Aliviada

Uma menina
De onze anos
Quer mais
É brincar

Crescer
Sem ser cobrada
Todos os dias
Para aprimorar
Cada vez mais
A voz
Já tão primorosa

Muito…
Ou melhor
TUDO

O que acontece
No dia a dia
Dos encarnados
É resultado
Da Lei de Ação e Reação
Inexorável e Precisa!

Poeta Estelar
By Elza Horai

“Cada um tem sua jornada. Ninguém pode ultrapassar a linha que separa sua própria área de movimentação. Tentar controlar a vida alheia em prol de tirar proveitos materiais, se encostando em uma sombra cercada de mordomias, é sinal de muita imaturidade consciencial. Mas muitos se arriscam por estes atalhos, achando que podem, e o que é pior, tem o direito de fazê-lo. Pais que se aproveitam dos talentos dos filhos, se apresentam como corretos cidadãos, desde o início dos tempos. Sorriso nos lábios, olhar lacônico, coração endurecido, e nenhum conhecimento das Leis do Alto. Pensam que tem direito só porque um dia tiveram o privilégio de colocar esta criança no mundo. Passam a vida repetindo: – Tenho direito! Estou certo!
Quando o dia de acertar as contas chega, mesmo se o pequeno “pote de ouro” já cresceu, muitas vezes até já se desvencilhou das garras do indesejável empresário, a conta chega. Acordou do lado de lá, já sentiu que algo ficou pendente. No primeiro diálogo com seu mentor, a pergunta que desnuda: – Você fez o que tinha que ser feito? Um trêmulo “sim” se apresenta como uma resposta reticente. A seguir, um imenso telão se abre diante do recém-chegado, mostrando detalhes do que “realmente” foi feito. A partir daí, só lamentos. A consciência desperta de repente, trazendo à tona tudo que tinha que ser feito e não foi – cuidar da família, dos filhos, do Planeta, com Amor e respeito. Trabalhar seus próprios talentos para suprir as necessidades materiais de TODOS aqueles que aceitou receber na jornada que se encerrou. Mas como Deus é justíssimo, ELE oferecerá ao recém chegado uma nova oportunidade para fazer o que não fez desta vez.

Amigo Poeta, mostrando Luzzz nas entrelinhas.

Imagem de apresentação deste post Richard Malo de Pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s