Minha Amiga de muitas Vidas

Muitos se negam a acreditar
Em muitas vidas
Mas todos estão de acordo
Com o seu próprio livre arbítrio
A decisão cabe a cada um
De acordo com o que acha condizente
Com a verdade que se apresenta
Diante de seus olhos…

Negar a Reencarnação
É perfeitamente desculpável…
Afinal, Deus jamais deu uma prova concreta
Daquelas que os cientistas
Esperam a milênios
Sentados, aguardando pacientemente
Eles já sabem por A mais B que Deus existe

Bem, isto alguns aceitam
Porque também há aqueles
Que ainda fazem testes quânticos
De todas as categorias…
E mesmo com os resultados incontestáveis, dizem:
Se Deus existe mesmo, porque ele não nos dá um sinal?

O que tenho eu a dizer…
Este humilde poetinha
Que quando da ultima encarnação
Era um dos que precisaram de “muitas provas”
Para acreditar piamente em Deus e na Reencarnação
Hoje sei, que isto é tão verdadeiro
Quanto o riacho cristalino
Que costumava pescar
Nos meus tempos de criança

Mas iniciei esta Poesia
Pensando em contar a história
De uma Amiga de muitas vidas
Ela se chamava Valéria
Quando nos cruzamos pela primeira vez
Isto ainda, antes do Nascimento de Jesus
Morávamos em Jerusalém,
E tínhamos muitas afinidades
Tantas, que um dia, até nos casamos…
Foi uma vida maravilhosa
Tão feliz, que o dia que desencarnei
Isto, primeiro que ela
Nos prometemos reencontrar-nos
Em outra oportunidade

Naquela época, todos acreditavam
Que depois da vida atual
Haveria outra…outra…e mais outra…
E foi o que aconteceu
Valéria e eu, renascemos…
Pela graça de Nosso Pai Eterno
Em Istambul ou melhor Constantinopla
Aí, foi mais difícil…
Nós iríamos nos casar novamente
Mas não foi possível
Eu fui assassinado
Antes de completar vinte anos
Por mercenários invasores

Bem, estou contando tudo isto
Porque nós estamos juntos novamente…
É claro, que aqui na eternidade!
Como já disse,
Na ultima vida, não me casei
Buscava Valéria nas mulheres que conheci
E como não a encontrei
Me dediquei a outras tarefas
Também prazerosas, mas sem o brilho do amor conjugal
Amigos, estou me abrindo com vocês
Apenas para dizer novamente
A VIDA É UMA SÓ!

Poeta Estelar
by Elza Horai


Amizades, reencontros serenos que representam algo difícil de ser explicado contando com a limitação do vocabulário que nos cerca. O que se pode dizer, é que a amizade reflete o estado de espirito dos amigos que se propuseram a compartilhar momentos de todas as categorias, desde banhados com a luz da felicidade como os tingidos com as nuanças da tristeza. Isto quer dizer que os espíritos se reconheceram, fizeram um pacto de parceria que dificilmente se quebrará. Alguns momentos de troca de energia, seja qual for a categoria, já é suficiente para que se possa olhar ao lado, visualizar algum familiar e ter certeza absoluta que em tempos idos houve trocas de energias que traçou o novo reencontro. Estas podem ter sido formatadas com a luz da amizade, com as brumas da discriminação, com as cores escuras da arrogância. Ciente disso, cultivar sólidas amizades é um ato de grandeza e sabedoria. O futuro lhes dirá!”
Amigo da Luz
Membro da Plêiade do Amor Universal

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s