O Menino de Ouro

Quem acreditaria se eu afirmasse:
Alguns meninos e algumas meninas
Se dispõem a se separar de seus pais
Só para auxiliá-los a melhorar-se!
Vocês certamente dirão:
Você quer nos confundir!
É claro que esta afirmação é infundada

Pois eu garanto que não!
Sob risco de complicar-me
Jamais faltaria com a verdade
Afinal sou um Espírito
Prestes a conseguir diplomar-me
Então, mentir é impossível!

Aconselho então quem não concorda
A parar de ler esta Poesia…
De muito amor!
Pois agora vou contar
A história do Menino de Ouro

Quando chegou aqui
Estava muito angustiado
Com a separação tão inesperada…
Naquele dia chuvoso
Longe de seus pais e irmãos
Por força de pessoas arrogantes

A velocidade era adequada
Mas o carro derrapou …
Encontrou a árvore sinistra
A amiga que estava ao seu lado
Por força da gentileza inata
Do nosso Menino de Ouro
Acordou depois de vários dias…aqui…
Em seguida… partiu…em direção ao infinito Bendito
Na Esfera Celestial, onde só
As Meninas Misericordiosas integram

O menino motorista também aqui chegou
Isto depois de algumas horas
Ficou aí tempo suficiente para
Recordar sua Vida terrena
Conversou conosco dizendo:
Me entristeço por separar-me
Dos meus familiares…
E da florzinha que Deus me deu
Mas sempre soube,
Que este dia breve chegaria
Vim para unir e vou…
Porque não consegui ainda!

Tenho certeza que do Alto
Posso ser mais útil
Sendo assim:
Perdoo aqueles que me perseguiram…
Em seguida partiu
Como já disse, chegou aqui angustiado
Pois não havia conseguido
Provar a inocência
Diante de seus acusadores

Apesar de já tê-los perdoado
Restava ainda a nódoa da
Injusta condenação…
Todos aqui se compadeceram
Com sua tristeza profunda

Até que chegou o dia
Que outro Menino de Ouro chegou!
Abraços daqui… Abraços dali…
Conversavam animadamente, 
Quando pararam de repente…
Ao vislumbrarem a querida bisavó!

Esta sorriu e disse:
Sabem por que estão tão felizes?
Porque vocês dois são irmãos
Os dois Meninos se espantaram!
Até onde sabiam, eles eram primos e amigos

A bisa, com ares de querer esclarecer mais
Falou mansamente:
Meninos, vocês foram filhos exemplares
Pena que não puderam ficar lá embaixo
Pois não houve merecimento
De tê-los por lá por mais tempo
As duas mães concordaram em recebê-los
Mas esqueceram-se de que eram irmãos…

E voltaram para unir e não desunir
Os dois pais concordaram também em recebê-los
Mas também se esqueceram
Que eles próprios eram irmãos
E prometeram conduzi-los para unir

Como nenhum dos quatro fez sua parte
Vocês estão aqui para unir
E eu vou ajudá-los…
Agora vamos tentar daqui
Emitir muita energia sutil
Quem sabe seus pais
Se recordem que vieram para unir
E se coloquem no caminho de cumprirem
O que prometeram antes de vocês chegarem
A Família Terrena só caminhará unida
Quando todos se enxergarem
Como Primos Irmãos!

Poeta Estelar


“É muito difícil para nós, espíritos desencarnados, compreendermos o que se passa na mente de alguém que nasceu, cresceu, envelheceu, pensando apenas em enriquecer. A vida terrena passa como um rastilho de pólvora, que ao ser aceso queima rapidamente, focar todas as atitudes na ganância de querer sempre mais, provoca um congelamento de qualquer sentimento que por ventura possa transferir sutiliza ao espírito em aprendizado. O dinheiro cega, confunde, atrapalha,  qualquer direcionamento que exija justiça e correção.”
Amigo da Luz
Membro da Plêiade do Amor Universal

 

2 comentários

  1. Hoje…faz oito anos que o segundo menino de ouro partiu… um tempo ínfimo… pensando em termos de eternidade… a missão ainda será cumprida… os dois meninos de ouro sabem muito bem disso…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s