Alegrias Passageiras

A vida agora é só alegria!
Exclamou o sortudo ganhador
Da mega sena acumulada…
A esposa agradecia a Deus

Todos os cinco filhos de mãos dadas
Sorriam extasiados…
Já calculando mentalmente
A parte que cabia a cada um!

Mas nenhum ousava proferir
Aquilo que lhes preenchia a mente
Tadeu… só agora que se deu conta
Da quantia exorbitante!

Gritou!  Vinte Milhões de Reais!
É dinheiro que não acaba mais!
Jorge, o filho mais velho
Aproveitando a deixa do Pai

Completou: Dois milhões para cada filho
E ainda sobram dez
Para você e mamãe viverem sossegados…
O resto da vida!!

O Pai lançou um olhar contundente
Em direção do filho pidão!
Eu nem coloquei a mão no dinheiro
E vocês já querem decidir por mim?

Fiquem sabendo que não vou
Dar nada pra ninguém
Afinal, os dois reais do jogo
Saíram da minha aposentadoria!

Neste momento a mãe interferiu
E eu, que lavei suas cuecas a vida toda…
Mereço ganhar um carro zero!
Tadeu pensou um pouco, disse:

Isto ainda vou pensar…
Resumindo nossa história do “sortudo” ganhador
Assim que recebeu o prêmio…
Comunicou a toda família

Comprei uma mansão em Alphaville
E hoje estou indo embora
Pois meu advogado está tratando
De tudo, agora sou milionário

Aqui está seu telefone
Qualquer dúvida, liguem pra ele
A esposa contrariada gritou:
E eu? Você vai me deixar?

Ele fitou-a dos pés à cabeça:
Assim que sair o divórcio…
Me caso com a gerente
Da casa lotérica, e não se fala mais nisso

Os cinco filhos gritaram ao mesmo tempo
Papai! Isto é injusto, queremos a nossa parte!
Então procurem Dr. José
O advogado da Lotérica, e agora…

Meu representante quando o assunto for dinheiro
Virou-se nos calcanhares e foi embora
Sem ao menos se despedir de ninguém
Todos já sabem o final desta Poesia de Amor

O que vocês não sabem é que tudo…
Voltou a ser como antes
Como assim? Bem, isto depois de cinco anos
Neste tempo, a nova esposa e seu amante Dr. José

“Depenaram” nosso amigo Tadeu
Ele voltou para casa e pediu perdão de joelhos
Os filhos se reuniram e decidiram perdoá-lo
Afinal, a vida nunca mais foi a mesma

Depois que o Pai foi embora…
Pois era ele quem preparava o churrasco aos domingos
Que contava piada pros amigos
Reunidos diante da TV assistindo o Coringão!

E a esposa abandonada?
Bem, esta também perdoou
Afinal, Tadeu sempre foi seu amor
Por isso nunca se importou de lavar suas cuecas!

E o Dinheiro? Este ficou no passado…
A Família descobriu que o importante
É poder se reunir aos domingos
Comer macarronada com frango

Jogar conversa fora
Participar dos eventos importantes
Nos quais cada um se alimenta
Do amor em forma de agradecimento

Por terem finalmente entendido
Com muita dor e arrependimento
Que o mais importante é a união
Com… ou… sem dinheiro!

Poeta Estelar


“ Que confusão! Os homens terrenos pensam que os bens materiais são imprescindíveis para se ter felicidade, alguns até se sentem mais confortáveis em imaginar que a riqueza não traz equilíbrio para uma vida bem aproveitada, mas mesmo assim, vivendo em um contexto onde o dinheiro é que fala mais alto, fica difícil dissociá-lo totalmente do dia a dia. Pois bem, sem dinheiro ou com dinheiro, o espírito precisa ser alimentado com atitudes corretas, pensamentos que reneguem um cisco sequer de egoísmo, de inveja, de orgulho, de arrogância… e o mais importante, ter ciência que a vida terrena é uma oportunidade de repisar caminhos, onde muitas vezes, o dinheiro foi o grande empecilho de encerrar  uma etapa com o equilíbrio dos vencedores.”
Amigo da Luz
Membro da Plêiade do Amor Universal

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s